sexta-feira, 28 de março de 2014

A música brasileira

com filosofia, reivindicação e crítica social


Assim que Lulu (Santos) me mostrou a melodia, senti cheiro de gol. Minha experiência no ramo me dizia “habemus hit”. Em algumas horas, escrevi a letra, misturando leitura de A arte do arqueiro zen, de Eugene Herringel, com alguns baseados e o Buda de Jorge Luis Borges, naveguei na eterna metáfora das ondas (na citação “a vida vem em ondas como o mar”, do “Dia da criação”, de Vinicius), inspirado pelas praias cariocas no verão com seus surfistas e cocotas.

(Do livro Noites Tropicais, de Nelson Motta)

Como uma onda

(Nelson Motta e Lulu santos)


“Nada do que foi será
de novo do jeito que já foi um dia,
tudo passa, tudo sempre passará.
A vida vem em ondas como um mar,
num indo e vindo infinito.

Tudo que se vê não é
igual ao que a gente viu há um segundo,
tudo muda o tempo todo no mundo.
Não adianta fugir nem mentir pra si mesmo,
agora, há tanta vida lá fora,
aqui dentro, sempre,
como uma onda no mar.”

§ § §

Inútil

(Roger, do Ultraje a Rigor)

A gente não sabemos escolher presidente.
A gente não sabemos tomar conta da gente.
A gente não sabemos nem escovar os dente.
Tem gringo pensando que nóis é indigente.

Inútil!
A gente somos inútil!

A gente faz carro e não sabe guiar.
A gente faz trilho e não há trem pra botar.
A gente faz filho e não consegue criar.
A gente pede grana e não consegue pagar.
A gente faz música e não consegue gravar.
A gente escreve livro e não consegue publicar.
A gente escreve peça e não consegue encenar.
A gente joga bola e não consegue ganhar.

Inútil!
A gente somos inútil!

Comida

(Arnaldo Antiunes, Sérgio Britto, Marcelo Fromer, dos Titãs)

Bebida é água.
Comida é pasto
Você tem sede de quê?
Você tem fome de quê?
A gente não quer só comida
A gente quer comida diversão e arte
A gente não quer só comida
A gente quer saída para qualquer parte
A gente não quer só comida
A gente quer bebida, diversão, balé
A gente não quer só comida
A gente quer a vida como a vida quer

Bebida é água
Comida é pasto
Você tem sede de quê?
Você tem fome de quê?
A gente não quer só comer
A gente quer comer e quer fazer amor
A gente não quer só comer
A gente quer prazer pra aliviar a dor
A gente não quer só dinheiro
A gente quer dinheiro e felicidade
A gente não quer só dinheiro
A gente quer inteiro e não pela metade
Necessidade e vontade
Necessidade e desejo
Necessidade e vontade


§ § §


Alagados

(Herbert Vianna, Bi Ribeiro, João Barone, dos Paralamas do Sucesso)


Todo dia o sol da manhã vem e nos desafia
Traz do sonho pro mundo quem já queria
Palafitas, trapiches, farrapos, filhos da mesma agonia
E a Cidade que tem braços abertos num cartão-postal
Mostra a face dura do mal
Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar nem das antenas de TV
A arte de viver da fé...
Só não sabe fé em quê...


§ § §

Nenhum comentário:

Postar um comentário