sexta-feira, 28 de março de 2014

Como dizia o Fraga...

Luís Fernando Veríssimo



Luis Fernando por Baptistão

Þ Como dizia o voyeur: pra mim todo dia é dia de fresta.

Þ Como dizia a soprano, orgulhosa de sua voz: o mundo inteiro não vale meu lá.

Þ Como dizia o cicerone do Butantã, mostrando uns esqueletos de cobras para alunos visitantes e, ao mesmo tempo, refletindo sobre sua atuação ali: são os ossos do ofídio.

Þ Como dizia a bordadeira, indagando pra fregueses se devia fazer mais do que só o trabalho das fronhas: e nas colchas, não vai nada?

Þ Como dizia aquele canibal, extremamente franco, que recém havia recusado um gostoso pedaço de um sumo pontífice: eu não tenho papas na língua.

Þ Como dizia o jardineiro: da vida nada se leiva.

Þ Como dizia um faraó admirador de Napoleão emboscando outro: do alto destas pirâmides, quarenta asseclas vos contemplam.

Þ Como dizia o líder de uma seita herege, apontando os fiéis que saíam de uma igreja: meu filho, um dia tudo isso será ateu.

Þ Como dizia a vidente que lia a sorte através das piadas: os cartuns não mentem jamais.

Þ Como dizia o naturalista, de saco cheio com a freqüência e a urbanização dos campings: antes só que mal acampado.

Þ Como dizia o grande tradutor: uma interpretezinha só não faz versão.

Þ Como dizia um espectador de um show de rock, no final do espetáculo, para um companheiro que dormira o tempo todo: o sono acabou.

Þ Como dizia um chorão para outro: berrar é humano.

Þ Como dizia o soldado raso, o cabo e o sargento e o tenente: a gente obedece por motivo de força major.

Þ Como dizia o dono do rebanho ovino mais premiado na exposição: estou com a boca nas ovelhas.

Þ Como dizia a prostituta idosa, consciente de sua antiguidade na profissão: eu sou uma mulher de vida fóssil.

Þ Como dizia o promotor, irritado com a intromissão de tantos advogados no processo: isso parece a causa da sogra!

Þ Como dizia o palhaço abandonado pela mulher: eu vivo jogado às troças.

Þ Como dizia o cético para o meteorologista que prometera tempo bom: você diz isso pra toldos.

Þ Como dizia o engenheiro da Petrobrás, desanimado com as prospecções: nada de novo sob o solo.

Þ Como dizia o vagabundo: tudo que sou devo a mim a esmo. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário