sexta-feira, 28 de março de 2014

Francisco Alves

(19.08.1898 – 27.09.1952)


          Na Rádio Nacional, sempre ao meio-dia de domingo, a locutora Lúcia Helena anunciava aos ouvintes com, ao fundo, o soar de um carrilhão, o prefixo musical do “Rei da Voz”.

“Ao soar o carrilhão dando as doze badalas, ao se encontrarem os ponteiros na metade do dia,  também os ouvintes da Rádio Nacional, do Rio de Janeiro, no Programa Luís Vassalo, se encontram com Francisco Alves, o Rei da Voz!”

Que começava cantando a valsa “Boa noite, amor”,
de José Maria de Abreu e Francisco Matoso


Quando a noite descer,
insinuando um triste adeus,
olhando nos olhos teus
hei-de, beijando teus dedos, dizer:
Boa noite, amor,
meu grande amor,
contigo sonharei
e a minha dor esquecerei,
se eu souber que o sonho teu,
foi o mesmo sonho meu.

Boa noite, amor,
e sonhe enfim,
pensando sempre em mim.

Na carícia de um beijo,
que ficou no desejo,
boa noite, meu grande amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário