sexta-feira, 28 de março de 2014

Os nomes dos meses

Os romanos dedicavam diversos de seus meses em homenagem a certos deuses. 

A palavra Janeiro deriva-se de Janus, o deus que presidiu o início de todas as coisas.
Janus é o deus bifronte: uma face olha para o futuro, enquanto a outra se vira para o passado.

Fevereiro foi dedicado a Februs, o deus da pureza, cujo festival era realizado no dia 15 deste mês.

O terceiro mês, Março, recebeu o seu nome em homenagem a Marte, o deus da guerra.

Abril – uma espécie de coincidência marcou para os romanos a palavra designativa deste mês. Em primeiro lugar, Aprilis aparece como um derivado da palavra grega “apros” que lembra a espuma do mar, da qual nasceu Vênus a deusa da formosura e do amor.

A origem do nome do mês de Maio sempre despertou dúvidas: alguns dizem que deriva de Magestas, padroeira dos poderes do Estado e da Magistratura. Outros ligam-no a majores, homenagem tributada anualmente aos velhos.

Durante o transcorrer do mês de Junho celebravam-se festas em honra dos jovens chamados “junioribus”. Juno era a divindade protetora do mês.

Como homenagem ao grande homem público Júlio César foi dado ao sétimo do ano o nome de Julho.

Ao Imperador Augusto, que por vinte anos foi cônsul e senhor de Roma, se deve o nome do mês de Agosto que era para os romanos um dos meses mais atraentes, pois nele grandes festividades eram celebradas.

Setembro derivou-se de “September”, pois no calendário de dez meses legado aos romanos ele era o sétimo.

Outubro – oitavo mês do ano na contagem dos romanos era escolhido para imponentes festas populares ao vinho novo.

De “novem” deriva Novembro. Era o nono mês da contagem conhecida pelos primitivos habitantes do Lácio. Nele, além de jogos e festejos públicos, celebravam-se também cerimônias coletivas em memória dos mortos.

Consagrado ao sol, Dezembro era a data natalícia do Astro-Rei. E, principalmente, o dia 25 sempre foi de importância para todos os povos. Nesse dia, os persas festejavam o nascimento de seu grande deus Mitre. Os egípcios situavam também a festa máxima de Osíris a 25 de dezembro. Em Roma, era o dia da festa do Imperador. Isso e mais o fato de que milhões de criaturas em três continentes tinham no 25 de dezembro o dia máximo de seu ano religioso. Fez com que a Igreja Cristã decidisse oficialmente que a festa do Natal fosse celebrada a 25 de dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário