sexta-feira, 28 de março de 2014

Santo Antônio e os namorados

Arquimedes Fortini



 As moças pretendentes à constituição de seu lar apelam continuamente para Santo Antônio, no sentido de verem seu sonho realizado. Sucede que, às vezes, o taumaturgo não atende e então se revoltam. Mas isso é uma demonstração de pouca fé e resignação, perante a vontade de Deus.

Muitas vezes também não fui atendido em determinados apelos, mas depois constatei ter sido um grande benefício, porque iria objetivar uma aspiração maléfica, em vez de benéfica.

Mas, voltando a “Santo Antônio Casamenteiro”, em algumas localidades do interior de São Paulo as jovens casamenteiras costumas jogar a imagem do santo dentro de um poço, ou atirá-lo à água, recitando a quadrinha:

“Meu Santo Antônio querido,
Eu vos peço de carne e osso,
Se tu não me dá marido
Não tiro mecê do poço.”

Ou, então, sem fazer qualquer violência, elas apenas rezam:

“Meu Santo Antônio querido.
Eu vos peço por quem sois.
Dai-me o primeiro marido,
Que o outro eu arranjo depois.”

A instituição do “Dia dos Namorados” provocou uma rusguinha. Tratava-se de saber se era no dia 12 ou 13 de junho. Um poeta dissipou as dúvidas com estas palavras.

“Mas quem marcou esta data,
12 de junho, na exata,
Não tem a memória boa.
Melhor o 13 seria,
Porque morreu nesse dia
Santo Antônio de Lisboa.”

São incontáveis os pedidos, incessantemente renovados e urgentes: ”Fazei com que meu namorado se decida a noivar”; “Que, o quanto antes, ele arranje um emprego para se casar”; “Que papai ganhe no bicho para eu ter meu enxoval” e, ainda: “Fazei com que eu passe nos exames”; “Que minha dentadura fique boa”; “Que papai volte mais cedo para casa”; Que o Zé deixe de beber” e “Que meu marido deixe de ser bilontra.”

Em poucas palavras, Santo Antônio está no coração do povo, motivo por que lhe são perfeitamente dedicados estes versos:

“Santo Antônio é santo antigo,
Mas simples, bondoso e amigo,
Nunca perde o seu valor,
Encontra coisas perdidas,
E às noivas desiludidas
Faz encontrar novo amor.
Que é melhor camarada
Dessa gente enamorada
Que o Santo tão português
O santo casamenteiro
É de certo o padroeiro
Do amor honesto e burguês.”

Os homens não deixam também de apelar para Santo Antônio.
Martins d´Alvarez, nos seguintes versos, faz esta promessa:

“Meu Santo Antônio,
Eu te dou um vintém,
Se tu me arranjares
A moça que eu quero bem.
Meu santo, me ajuda,
Me dá um alívio.
Me arranca do peito
Esse estrepe de arraia.
Bem sabes, meu Santo,
Quanto sofre um pobre
Que amarra o destino
Num rabo de saia.”


§ § §

Oração para os namorados


Meu querido Santo Antônio,
Tu que és o protetor dos namorados,
olha para mim, para a minha vida,
para os meus anseios.
Defenda-me dos perigos,
afasta de mim os fracassos,
as desilusões, os desencantos.
Faze que eu seja realista, confiante, digno e alegre.
Que eu encontre um amor que me agrade,
seja trabalhador e responsável.
Que eu saiba caminhar para o futuro
e para a vida a dois com disposição
de quem recebeu de Deus um dever social.
Que meu amor seja feliz e sem medidas.
Que todos os enamorados busquem a mútua compreensão,
a comunhão de vida e o crescimento na fé.
Assim seja.

§ § §

Þ Santo Antônio de Pádua ou Santo Antônio de Lisboa nasceu em Lisboa em 15.08.1195 e morreu em Pádua em 13 de junho de 1231.

Nenhum comentário:

Postar um comentário