sexta-feira, 28 de março de 2014

Urgência de viver

                  Esperamos demais para fazer o que precisa ser feito,
num mundo que só nos dá um dia de cada vez,
sem nenhuma garantia do amanhã.
Enquanto lamentamos que a vida é curta,
agimos como se estivéssemos à nossa disposição
um estoque inesgotável de tempo.

Esperamos demais para dizer palavras de perdão
que devem ser ditas.

Esperamos demais para pôr de lado os rancores
que devem ser expulsos.

Esperamos demais para expressar gratidão.

Esperamos demais para dar ânimo,
para oferecer consolo...

Esperamos demais para sermos generosos,
deixando que a demora diminua a alegria
de dar espontaneamente.

Esperamos demais para sermos
pais de nossos filhos pequenos,
esquecendo quão curto é o tempo
em que eles são crianças,
quão depressa a vida os faz crescer
e irem embora.

Esperamos demais para dar carinho
aos nossos pais, irmãos e amigos.
Quem sabe quão logo será tarde demais?

Esperamos demais para ler os livros,
ouvir as músicas,
ver os quadros que irão alargar as nossas mentes,
enriquecer nossos espíritos,
expandir nossas almas...

Esperamos demais para rezar as preces
que estão prontas para sair de nossos lábios,
para executar as tarefas que aguardam serem cumpridas,
para demonstrar um amor que, talvez,
amanhã não possa mais sê-lo.

Esperamos demais nos bastidores,
quando a vida nos deu um papel
para desempenharmos no palco.
Deus também está esperando.
Esperando que paremos de esperar.
Esperando que nós comecemos a fazer tudo aquilo
para o que este dia e esta vida nos foram dados.


(Texto do rabino Henry Sobel)


Nenhum comentário:

Postar um comentário