quarta-feira, 9 de abril de 2014

A origem de algumas palavras

Embora quase metade das palavras em inglês tenham origem latina, poucas foram incorporadas durante os quase 400 anos de ocupação romana da Grã Bretanha (anos 43 a 410). A grande maioria das palavras de origem latina foram introduzidas na língua inglesa durante e depois da renascença.

O oceano Ártico tem esse nome por estar situado sob a constelação Ursa Menor, no Polo Norte. Arctus é urso, em grego. Já o continente Antártico, mais comumente chamado Antártida, em português, é o que está em oposição ao Ártico (portanto, antiártico) no Polo Sul.

A palavra morfina, que, como vários outros termos médicos, é cognata em diferentes idiomas, obteve seu nome de Morfeu, deus dos sonhos. O nome Morfeu, criado pelo poeta romano Ovídio, vem do grego "morphe", que quer dizer "forma". O nome seria, portanto, uma alusão às formas que enxergamos nos sonhos.

O termo "dengue" é um substantivo masculino no português, portanto "o dengue". Foi utilizado pela primeira vez no Caribe para designar uma febre extremamente violenta provocada pelo mosquito Aedes aegypti. A palavra originou-se da adaptação espanhola de ki denga pepo, que na língua dos nativos da região significava "cãimbra causada por espíritos maus". O dengue ocorre sob duas formas: a mais branda, cujos sintomas desaparecem em cerca de uma semana, e a hemorrágica, que pode ser fatal.

Não é só no Brasil que a cultura árabe anda lançando moda. O termo francês echarpe, usado também no português, vem de icharb, o lenço que as mulheres árabes usam para cobrir a cabeça, deixando só o rosto à mostra.

A palavra "asterisco" vem do grego asteriskós, que é o diminutivo de aster, estrela. Embora seja um termo cognato em várias línguas (asterisk em inglês, astérisque em francês e asteristico em espanhol), a língua alemã partiu para uma tradução literal: sternchen (estrelinha).

A palavra alfabeto deveria ser, a bem da precisão, "alfabeta". Afinal, a origem dessa palavra, cognata em muitas línguas, são as primeiras letras do alfabeto grego, alfa e beta. O alfabeto é uma das mais importantes invenções do homem, e a sua origem vem sendo estudada, discutida e polemizada há vários séculos. Tudo leva a crer, porém, que foram os fenícios os seus inventores.

O símbolo @ já existe desde os tempos do Império Romano, quando representava a palavra latina "ad", da qual adveio o "at", em inglês. Graficamente, o @ latino procurava representar, ainda que forma meio tosca, um pequeno "a" dentro de um "D". Já em português, o @ representa a arroba, uma medida de peso equivalente a 15 quilos. A palavra arroba origina-se de um termo árabe que também designa peso, ar-rubá. (Fonte: Odisseia Digital 2)

A palavra "cookie" em inglês, que já é conhecida e usada internacionalmente com o sentido de "biscoito", vem do holandês koekje, diminutivo de bolo. Em informática, "cookie" significa ainda um tipo de arquivo que alguns sites "plantam" no computador do usuário para rastrear suas futuras visitas na internet.

O termo "genocídio", crime de que está sendo acusado Slobodan Milosevich pelos massacres na antiga Iugoslávia, é relativamente novo: a palavra foi criada pelo professor Raphael Lemkin da Duke University e usado para se referir aos criminosos nazistas em 1945. A palavra vem do grego "genos" (=raça) e do latim "cadere" (= matar).

A palavra grega "pathos", usada em muitas línguas como raiz de palavras relacionadas à medicina (como patologia, por exemplo), tem duplo sentido. Por um lado significa doença; de outro, significa paixão. Uma "paixão patológica" seria, portanto, uma redundância.

O "til" (tilde, em inglês) costumava ser a própria letra "N", indicando que a letra sobre a qual estava escrita deveria ser lida com som nasal. Com o passar do tempo, o "N" foi perdendo os seus ângulos agudos para se tornar a linhazinha curva em formato de onda que conhecemos hoje.


De acordo com a revista Veja, Antraz não é uma boa tradução para a palavra "Anthrax". Anthrax é uma palavra que vem do grego e significa "carvão". A forma cutânea da doença produz manchas escuras na pele, daí a analogia. Já a palavra "antraz" é usada no meio médico para um outro mal, bem menos agressivo: uma furunculosa provocada por estafilococos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário