terça-feira, 22 de abril de 2014

Alfabeto concreto




O A é uma letra com sótão.

Chove sempre um pouco sobre o à craseado.

O B é I que se apaixonou por um 3.

O b minúsculo é uma letra grávida.

Ao C só lhe resta uma saída.

O Ç cedilha, esse jamais tira a gravata.

O D é um berimbau bíblico.

O e minúsculo é uma letra esteatopigia. (Esteatopogia, ensino aos mais atrasadinhos, é uma pessoa que tem certa parte do corpo que fica atrás embaixo, muito feia.)

O E ri-se eternamente das outras letras.

O F com seu chapéu desabado sobre os olhos é um gangster à espera de oportunidade.

O f minúsculo é um poste antigo.

A pontinha do G é que lhe dá esse ar desdenhoso.

O g minúsculo é uma serpente de faquir.

O H é uma letra dúplex. A parte de cima é muda. Serve também como escada para as outras letras conseguirem sentido.

O h minúsculo é um dinossauro.

O I maiúsculo guarda, em seu porte de letra, um pouco do porte marcial de quando age como algarismo romano.

O i minúsculo é um bilboquê.

O J com seu gancho de pirata, rouba, às vezes, o lugar do g.

O j minúsculo é uma foca brincando com sua bolinha.

.Vê-se nitidamente que o K é uma letra inacabada. Por enquanto só tem andaimes. Parece que vão fazer um R.

Junto com o k minúsculo o K maiúsculo treina passo de ganso.

O L maiúsculo parece um I que extraíram com a raiz e tudo.

Mas o l minúsculo não consegue disfarçar que é um número (1) espionando o alfabeto.

O M maiúsculo é um gráfico de uma firma demasiado instável.

O m minúsculo é uma cadeia de montanhas.

O N é um perneta.

No n minúsculo pode-se jogar golfinho com a bolinha do o.

O O maiúsculo boceja largamente diante da chatura das outras letras.

O o minúsculo é um buraquinho no alfabeto.

O P é um d plantando bananeira.

O p minúsculo é um q que vem de volta.

O Q maiúsculo anda sempre com o laço do sapato solto.

O q minúsculo é um p se olhando ao espelho.

O R ficou assim de tanto praticar halterofilismo.

Sente-se que o S é cifrão fracassado.

O s minúsculo é um cisne tranquilo.

Na balança do T se faz justiça.

O U é uma ferradura da ortografia, protegendo o galope das idéias.

O u minúsculo é um n com as patinhas pro ar.

O V é uma ponta de lança.

O W são vês siameses.

O X é uma encruzilhada.

O Y é a taça onde bebem as outras letras. Desapareceu do alfabeto porque se entregou covardemente, de braços pra cima.

O Z é o caminho mais curto, depois da bebida.

O z minúsculo é um esse cubista.



(Emanuel Vão Gogo – PIF-PAF, maio de 1964)







Nenhum comentário:

Postar um comentário