segunda-feira, 7 de abril de 2014

Almanaquianas

O brinde dos farmacêuticos

A União farmacêutica ofereceu um lauto banquete para a classe médica e farmacêutica. À hora do brinde, levanta-se um farmacêutico e, depois de breves palavras, disse:
- Bebo à saúde de todos!
- Ooooooooooh!... – lamentou a turma.
Corrigiu, então, o orador:
- Bebo à saúde de todos os presentes!
- Aaaaaaaaaah!... – suspirou a plateia.

Envelhecer

Entra pela velhice com cuidado,
pé ante pé, sem provocar rumores
que despertem lembranças do passado,
sonhos de glória, ilusões de amores...

Do que tiveres no pomar plantado,
apanha as frutas e recolhe as flores,
mas lavra ainda e planta o teu eirado,
que outros virão colher quando te fores.

Não te seja a velhice enfermidade!
Alimenta no espírito a saúde,
luta contra as tibiezas da vontade.

Que a neve caia! O teu ardor não mude!
Mantém-se jovem, pouco importa a idade,
tem cada idade a sua juventude.

Bastos Tigre

Como atravessar uma rua...


Um senhor explica ao seu amigo como atravessar uma rua sem perigo em vários países:
- Na Itália, atravesse a rua de braço com uma loura; na Inglaterra, atravesse acompanhado de um cão; nos Estados Unidos, leve pelo menos três crianças junto; na Alemanha, vista um uniforme de oficial do Exército; na França,, use barbas postiças e óculos escuros; no Brasil não atravesse.

O Poeta e o Asno

Vicente Cardarelli, o grande poeta italiano, estava fazendo 60 anos e seus admiradores e amigos resolveram fazer-lhe uma grande festa de aniversário. Contam que a certa altura da homenagem, que corria muito alegre, um rapaz, desses que aparecem ninguém sabe como, postou-se diante do poeta e gritou:
- O senhor pode ser um grande poeta, mas eu tenho 20 anos! – Ah, ah, ah!
Meu caro jovem – disse Cardarelli sem se ofender. – Talvez você não saiba que um asno com 20 anos é mais velho que um homem com 60.


Nenhum comentário:

Postar um comentário