segunda-feira, 21 de abril de 2014

Aquarela do Brasil

Aquarela do Brasil - letra e música de Ary Barroso – 1939




Seguindo a moda dos anos 30, onde a maioria das músicas era lançada em peças teatrais musicais, "Aquarela" foi cantada originalmente pela cantora Aracy Cortes, muito famosa na época, na peça musical "Entra na Faixa" do compositor Luis Iglésias; mostrou-se inadequada à voz da cantora e por isso não fez muito sucesso. Antes de ser gravada, "Aquarela do Brasil" inicialmente chamada "Aquarela Brasileira" foi apresentada pelo barítono Cândido Botelho no musical "Joujoux Balangandãs", espetáculo beneficente patrocinado pela primeira dama Dona Darcy Vargas, esposa do então presidente Getúlio Vargas; aí começou seu grande sucesso.

"Aquarela do Brasil", uma declaração de amor ao Brasil, com versos enaltecedores ao povo, às paisagens e tradições brasileiras, foi a primeira composição responsável pelo surgimento do gênero samba exaltação, gênero esse bastante incentivado pelo governo ditatorial de Getúlio. "Aquarela" tem uma discografia imensa com interpretação de grandes artistas brasileiros e estrangeiros.

Ary Barroso foi um dos mais importantes compositores da música popular brasileira, com enorme produção de músicas maravilhosas e de muito sucesso, além de radialista e homem de televisão, com seu programa de calouros no rádio inicialmente e depois na televisão, que marcou época, assim como "flamenguista apaixonado e fanático".

Dárcio Fragoso


Letra de Aquarela do Brasil


Brasil,
Meu Brasil brasileiro
Meu mulato inzoneiro
Vou cantar-te nos meu versos...

Ô Brasil, samba que dá
Bamboleio, que faz gingar,
Ô Brasil, do meu Senhor
Terra de Nosso Senhor...
Brasil, pra mim, ...pra mim, ...pra mim!

Ah, Abre a cortina do passado
Tira a Mãe-preta do cerrado
Bota o rei-congo no congado
Brasil, pra mim, pra mim, pra mim!

Deixa cantar de novo o trovador
A merencória luz da lua
Toda a canção do meu amor
Quero ver "essa dona" caminhando
Pelos salões arrastando,
O seu vestido rendado...
Brasil, pra mim, pra mim, pra mim, Brasil!

Brasil,
Terra boa e gostosa
Da morena sestrosa


De olhar indiferente
Ô Brasil, samba que dá
bamboleio que faz gingar
Ô Brasil do meu amor
Terra de Nosso Senhor...
Brasil, pra mim, pra mim, pra mim!

Ô esse coqueiro que dá coco,
Onde eu amarro a minha rede,
Nas noites claras de luar,
Brasil, pra mim, pra mim, pra mim!

Ah, onde essas fontes murmurantes
aonde eu mato a minha sede
e onde a lua vem brincar.
Ah, esse Brasil lindo e trigueiro
É o meu Brasil brasileiro
Terra de samba e pandeiro
Brasil, pra mim, pra mim, Brasil!
Brasil, pra mim...
Brasil, ...Brasil...


Institui o Dia do Radialista

25/07/2006 - Diário Oficial da União

           Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art.1 Fica instituído, no calendário das efemérides nacionais, o Dia do Radialista a ser comemorado no dia 7 de Novembro, data natalícia do compositor, músico e radialista Ary Barroso.

Art.2 Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

          Brasília, 24 de julho de 2006, 185 da Independência e 118 da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

       
          Diário Oficial da União do dia 25 de Julho de 2006 a Lei numero 11.327, de 24 de Julho de 2006.

A Família Barroso sensibilizada agradece.


Nenhum comentário:

Postar um comentário