sexta-feira, 4 de abril de 2014

Chega de Saudade



Capa do primeiro LP de João Gilberto


"Chega de Saudade" é considerado o marco inicial da Bossa Nova. A cantora Elizeth Cardoso (A Divina) gravou em 1958 o long-play "Canção do Amor Demais" que entre outras músicas continha o samba de Tom e Vinícius "Chega de Saudade" onde João Gilberto tocava violão com uma batida diferente e característica, transformada em marca registrada da bossa nova.

Não se sabe ao certo qual a origem dessa nova batida de violão, mas é aceita como "inventada" por João Gilberto; alguns estudiosos atribuem influência do jazz na maneira de tocar samba chamada Bossa Nova. Estudiosos e artistas entre os quais Chico Buarque e Caetano Veloso atribuem a esse samba gravado na batida característica de João Gilberto como o início da bossa nova; não se sabe quem foi o introdutor do nome bossa nova, mas significava "uma maneira nova de tocar samba com muita graça".

Devido ao grande sucesso de público da bossa nova seguiram-se inúmeros sambas tocados dessa maneira: "Desafinado", "Samba de uma nota só", "Discussão" todas de Tom e Newton Mendonça, "O Barquinho" de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli; sambas mais antigos como "Saudade da Bahia" e "Samba da Minha Terra" ambas de Dorival Caymmi foram regravadas no estilo bossa nova com muito sucesso.

 Mas a grande alavanca para a difusão da bossa nova internacionalmente foi o "Festival de Bossa Nova" em 1962 realizado no Carnegie Hall de Nova York com a participação dos principais artistas brasileiros da bossa nova: João Gilberto, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Carlos Lyra, Nara Leão, Roberto Menescal, Ronaldo Bôscoli, Baden Powell, Sylvinha Telles e muitos outros.

A bossa nova foi sucesso primeiramente junto aos meios universitários e intelectuais, para posteriormente atingir as camadas mais populares. O artista mais engajado com a bossa nova foi e é João Gilberto; nascido na Bahia em 1931 e morando no Rio de Janeiro desde os anos 50, após o sucesso inicial de "Chega de Saudade" e outras músicas, João excursionou pelo Brasil, América Latina e Estados Unidos tocando violão e cantando baixinho com sua voz característica e intimista, divulgando a bossa nova, tendo inclusive se radicado nos Estados Unidos.

A letra de “Chega de Saudade” Antonio Carlos Jobim / Vinicius de Moraes

Vai, minha tristeza,
E diz a ela que sem ela não pode ser.
Diz-lhe, numa prece. que ela regresse.
Porque eu não posso mais sofrer.
Chega de saudade.
A realidade é que sem ela,
Não há paz, não há beleza
É só tristeza
E a melancolia que não sai de mim
Não sai de mim Não sai...
Mas se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca,
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser
Milhões de abraços
Apertado assim, colado assim
Calado assim,
Abraços e beijinhos
E carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio
De viver longe mim,
Vamos deixar desse negócio
De viver longe de mim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário