sábado, 5 de abril de 2014

Divertimento Geral



Queixa da esposa

A mulher se queixava, quase em prantos, à sua empregada:
- Oh, Maria, acho que meu marido está me enganando com a secretária!
- Não acredito! A senhora está dizendo isso pra me deixar com ciúmes.

Respeito ao enterro

O sujeito estava no boteco tomando umas cachaças, jogando uma partida de dominó com mais três amigos, quando vê um enterro passando pela rua. Mais que depressa ele interrompe o jogo, levanta-se, vai até a porta, tira o chapéu e fica observando o cortejo, durante vários minutos, em silêncio, com semblante visivelmente entristecido. Quando o féretro termina de passar, ele recoloca o chapéu na cabeça e volta a sentar-se.
- Esse foi o gesto mais comovente que eu já vi em toda a minha vida! - comenta um dos amigos. - Acho que todos deviam seguir o seu exemplo.
- Bem, depois de quinze anos de casado, acho que era o mínimo que eu poderia fazer!

Os dominados

Tumulto na porta do céu. De repente, São Pedro grita:
- Pessoal, vamos organizar esta bagunça! Quero que vocês formem duas filas, os homens que sempre foram dominados por suas mulheres fiquem aqui, e aqueles que nunca foram dominados por suas mulheres fiquem ali.
Alguns minutos depois, existia uma fila enorme no local dos dominados e somente um sujeito mirradinho no local dos que nunca foram dominados.
- Muito bem! - continuou São Pedro, enfático. - Vocês deveriam ter vergonha! Deus criou vocês à Sua imagem e semelhança e vocês deixaram-se dominar. Mas felizmente, nem tudo está perdido, temos pelo menos um aqui que honrou os desígnios do Senhor. - e virando-se para o sujeito. - Meu amigo, diga para os outros, o que você fez para merecer este lugar!
- Eu não sei, foi a minha mulher que me mandou ficar aqui!

A estranha no ninho

A tartaruguinha faz um grande esforço e começa a subir numa árvore. Depois de horas de muito esforço, ela consegue alcançar um galho bem baixo, mas escorrega e despenca no chão. Mas ela não desiste. Depois de se recuperar, se arrasta até a árvore e faz mais uma tentativa. Depois de subir uns três centímetros, pá! Cai no chão, onde fica agitando as patinhas, desesperada.
Enquanto isso, no topo da árvore um casal de pombos conversa:
- Querido - diz a fêmea, com os olhos cheios de lágrimas - Será que não está na hora de contarmos que ela é adotada?

Arquibancada do Vasco

Manoel teve um filho e foi registrá-lo no cartório:
- Que nome você gostaria de dar ao seu filho?
- Arquibancada do Vasco.
- Mas como Arquibancada do Vasco? Você não sabe que esse tipo de nome é proibido? Seu filho não pode ter esse nome.
- Mas por que não? É um nome normal como qualquer outro. Meu filho tem até um coleguinha com um nome semelhante...
- Seu Manoel, isso é proibido. Eu não posso fazer isso. Vamos ver, qual o nome do coleguinha de seu filho?
- Geraldo Santos

A loira no zoológico

Uma  loira vai  ao  jardim zoológico levando seu filho, também loiro. Ao chegar ao pé da jaula do leão, a loira lê numa placa: "Cuidado com o leão".
Mais à frente, noutra jaula, ela lê o seguinte: "Cuidado com o tigre".
Em seguida,  chega a uma jaula aberta e vazia, e ali encontra uma placa que diz: "Cuidado, Tinta Fresca".
Nervosa,  a  loira  agarra  seu  filho  pelo  braço  e  sai desesperada, dizendo aos gritos:
- A tinta fresca fugiu!

Ser pai é isso aí!

O marido e a mulher foram ao hospital para ter um bebê. Chegando lá, o médico disse que tinha inventado uma máquina que dividiria as dores do parto com o pai da criança.  Perguntando  se  eles queriam experimentar o novo invento,  de pronto obteve aceitação do casal.
O  médico  regulou  a  máquina  para transferir  somente  10%  da dor para o pai, dizendo  que  seria  o  bastante,  pois  sendo  um  homem ele não conseguiria suportar mais do que isso.
A mulher começou o trabalho de parto e o marido estava se sentindo muito bem. Assim, resolveram aumentar a taxa de dor para 20%, e o marido continuava bem. O médico, intrigado, mediu a pressão, conferiu o coração e tudo estava normal. Assim, resolveu ir aos 50%. Depois de um tempo, o bebê estava quase nascendo e, como o marido continuava bem, resolveram transferir a dor do parto 100% para o marido e proporcionar  a  sua  mulher  um  parto  sem dor. Dessa forma,  a  mulher  teve  o bebê supertranqüila. Ela e o marido estavam muito felizes.
Ao chegarem em casa, encontraram o vizinho morto na varanda!

Moral da história: Pai é quem cria!
urgente




Nenhum comentário:

Postar um comentário