domingo, 6 de abril de 2014

Bastos Tigre

Manuel Bastos Tigre

(Recife PE 1882-1957)


Com Emílio de Meneses tem por afinidades o humor (sua poesia satírica leva o pseudônimo de D. Xiquote) e o talento publicitário. Sua filha Helena Ferraz de Abreu (que também foi satirista e usava o pseudônimo masculino de Álvaro Armando) assim retratou o pai:

(Álvaro Armando)

Com relógio no prego e cerveja no lombo,
Vivendo na boêmia, explosivo por vezes,
Ao redor de Bilac e Emílio de Meneses,
Inflamava a Pascoal, punha fogo à Colombo.

Hoje, que o arranha-céu na poesia dá o tombo,
Sem luz os bigodões, nem vinhos portugueses,
É um tipo bonachão, tem hábitos burgueses,
Com relógio no pulso e trabalho no lombo.

Mas aos versos fiel, desse mal não se cura,
A inspiração mordaz, cheia de humor, vadia,
Guarda sob a expressão burocrática e sonsa.

E indago: os seus irmãos pela literatura
Que lhe negam a entrada à "sábia" Academia,
São amigos do Tigre ou amigos da... onça?

Sonetos satíricos de Bastos Tigre

Voz Interior

Quem sou eu? de onde venho e onde, acaso me leva
O Destino fatal que os meus passos conduz?
Ora sigo, a tatear, mergulhado na treva,
Ou tateio, indeciso, ofuscado de luz.

Grão, no campo da Vida, onde a morte se ceva?
Semente que apodrece e não se reproduz?
De onde vim? Da monera? ou vim do beijo de Eva?
E aonde vou, gemendo, a sangrar os pés nus?

Nessa esfinge da Vida a verdade se esconde;
O espírito concentro e consulto a razão,
E uma voz interior, sincera, me responde:

− Quem és tu? Operário honesto da nação.
De onde é que vens? De casa. Onde é que estás? No bonde.
Para onde vais? Não vês? Para a repartição.

Esta República

É certo que a República vai torta;
Ninguém nega a duríssima verdade.
Da pátria o seio a corrupção invade
E a lei, de há muito tempo, é letra morta.

A quem sinta altivez, força e vontade
Ficou trancada do Poder a porta:
Mas felizmente a vida nos conforta
De esperança, uma dúbia claridade.

Porque (ninguém se iluda), "isto" que assim
A pobre Pátria fere, ultraja e explora,
Jamais o sonho foi de Benjamin.

Os motivos do mal não são mistério:
− É que a gentinha que governa agora
É o rebotalho que sobrou do Império.

Amor de Pronto

Suplicas que eu te escreva e que te diga
Se te não quero mais com o mesmo ardor.
Pedes "três linhas... uma frase amiga,
Um rápido bilhete... o quer que for."

Nada perdeu da intensidade antiga
Meu sempre novo e apaixonado amor;
O ofício de te amar não me fatiga
E além do mais eu sou conservador.

Dizes estar de tanta espera farta;
Que os homens, às amantes sempre infiéis,
Só merecem (que horror!) que um raio os parta.

Não! Meu silêncio tem razões bem cruéis:
Ando "por baixo" e custa cada carta
Tinta, papel e um selo de cem réis.

Reforma do Ensino

Mal o Congresso arranja uma reforma
Da Instrução malsinada e miseranda,
Outra já se prepara; e desta forma
Ela de Herodes a Pilatos anda.

Da mania reinante segue a norma
(Pois que da glória os píncaros demanda)
E de um grande projeto o esboço forma
O fecundo doutor Passos Miranda.

A nova lei ordena que os pequenos
Trilhem com aplicação e com cuidado
Seis anos de científicos terrenos.

Um parágrafo seja acrescentado:
− O saber ler é obrigatório; a menos
Que o rapaz se destine a deputado...


Bastos Tigre



6 comentários:

  1. minha tia-avó e meu bisavô. orgulho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bastos Tigre, além de ser um notável escritor de textos humorísticos, foi, também, uma grande poeta.
      Você deve orgulhar-se muito de seus antepassados.

      Nilo da Silva Moraes

      Excluir
  2. Ouvi muito sobre Bastos Tigre através os comentários do meu pai, que era médico, e poeta nas horas vagas. Ficou-me na lembrança o comentário de que esse nobilissimo poeta,surpreendia a todos com finais surpreendentes, fugindo inclusive do assunto ou do tema. Gostaria muito de achar algo assim sobre ele. Por exemplo, ele vinha narrando uma bela viagem, e no final saiu com..." Considere o preço exorbitante dá passagem".

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. O texto está muito bom, dona Janine, prometo que vou pesquisar a história na qual a senhora se refere.

      Um abraço de Nilo da Silva Moraes, compilador do Almanaque Cultural Brasileiro.

      Excluir
    2. Ah, Nilo, obrigada pelo seu comentário. Se vc descobrir sobre esse peculiaridade do Bastos Tigre, vou ficar muito feliz! Abraços e

      Excluir