sexta-feira, 11 de abril de 2014

O cântico do sol



São Francisco de Assis

Altíssimo, Onipotente, bom Senhor:
a Ti os louvores, a glória, a honra e toda benção.

A Ti somente, ó Altíssimo, se devem tais homenagens,
e homem algum é digno de pronunciar o Teu nome.

Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas,
especialmente com o senhor irmão Sol,
que faz o dia e pelo qual nos iluminas;
ele é belo e radiante, com grande esplendor
de Ti, ó Altíssimo, traz significação.

Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã Lua e pelas Estrelas;
no céu Tu as formastes, claras, preciosas e belas.

Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão vento,
pelo ar, pelo céu nublado, pelo céu limpo e por todo o tempo
com que sustentas as tuas criaturas.

Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã água,
que é muito útil, humilde, preciosa e casta.

Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão fogo,
com que aclaras a noite;
ele é belo e alegre, robusto e forte.

Louvado sejas, meu Senhor, por nossa mãe a terra,
que nos sustenta e governa,
que produz diversos frutos com as flores coloridas e a erva.

Louvado sejas, meu Senhor, por aqueles que perdoam por teu amor,
e que sofrem enfermidades e tribulação;
bem-aventurados os que suportam tudo em paz,
porque por Ti, ó Altíssimo, serão coroados.

Louvado sejas, meu Senhor, por nossa irmã a morte corporal,
À qual nenhum homem vivo pode escapar.

Ai daqueles que morrem em pecado mortal;
bem-aventurados os que se encontram nas tuas santíssimas vontades,
porque não lhes poderá lhes poderá fazer mal a segunda morte.

Louvai e bendizei o meu Senhor,
e agradecei-lhe, servido-o com grande humildade.


(Tradução de Armindo Trevisan)

Nenhum comentário:

Postar um comentário