segunda-feira, 21 de abril de 2014

O Homem e a Mulher

(Vitor Hugo)


O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.
Deus fez para o homem um trono;
para mulher, um altar.
O trono exalta,
o altar santifica.

O homem é o cérebro;
a mulher, o coração.
O cérebro fabrica a luz;
o coração fabrica o amor.
A luz fecunda!
O amor ressuscita.

O homem é o gênio,
a mulher o anjo.
O gênio é imensurável;
o anjo indefinível.
Contempla-se o infinito.
Admira-se o inefável.

A aspiração do homem é a suprema glória;
a aspiração da mulher é a virtude extrema.
A glória traduz a grandeza;
a virtude traduz a divindade.

O homem tem a supremacia;
a mulher, a preferência.
A supremacia representa a força;
a preferência representa o direito.

O homem é forte pela razão.
A mulher é invencível pelas lágrimas.
A razão convence;
as lágrimas comovem.

O homem é capaz de todos os heroísmos.
A mulher, de todos os martírios.
O heroísmo enobrece;
o martírio sublima.

O homem é o código.
A mulher, o Evangelho.
O código corrige;
o Evangelho aperfeiçoa.

O homem é um templo.
A mulher, um sacrário.
Ante o templo, nos descobrimos;
ante o sacrário, ajoelhamo-nos.

O homem pensa.
A mulher sonha.
Pensar é ter no cérebro uma luz;
sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano.
A mulher é um lago.
O oceano tem a pérola que o embeleza;
o lago tem a poesia que o deslumbra.

O homem é a águia que voa.
A mulher, o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço;
cantar é conquistar a alma.

O homem tem um farol: a consciência.
A mulher, uma estrela: a esperança.
Um farol guia,
a esperança salva.

Enfim: o homem está colocado onde termina a terra;
a mulher onde começa o céu...!



Nenhum comentário:

Postar um comentário