quinta-feira, 17 de abril de 2014

Oração do Chimarrão



O padre Bruno Rabuske, de São Leopoldo, apreciador do chimarrão, inspirou-se no ritual que envolve uma roda de chimarrão para compor a seguinte oração em homenagem à tradicional bebida dos gaúchos.

Senhor, quero agradecer-Vos o dom do chimarrão, fruto da erva-mate.
Sua cor verde lembra-me a esperança num mundo melhor.
A bomba do chimarrão, sugando a água quente, é sinal de vida e saúde.
A cuia, arredondada, é símbolo de amor universal.
A roda do chimarrão representa o calor humano que une os corações.
Todos bebem na mesma fonte, na mesma bomba.

Senhor, agradeço-Vos o dom do chimarrão como remédio para o corpo
e estimulante para o espírito.
As diversas vitaminas e outros elementos nutritivos
provenientes da erva-mate,
além de matar a sede, fortificam o organismo.

Senhor, fazei-me compreender que tomar chimarrão sozinho
perde grande parte de sua eficácia.
Trata-se de uma espécie de oração ou liturgia comunitária,
Lembrando a vossa palavra:
“Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome,
estarei no meio deles”.
Quantas historinhas, anedotas e novidades contadas e escutadas
em volta da lareira espantam o mau humor!
Quantos problemas solucionados e quantas intrigas consertadas!

Senhor, até o silêncio entre uma e outra tragada do chimarrão
pode converter-se em virtude.
Senhor, quantos casais e famílias
e quantos vizinhos não se conservaram unidos
por causa do chimarrão!
Casal unido pelo chimarrão permanece unido.
Obrigado, Senhor, pelo chimarrão!


Nenhum comentário:

Postar um comentário