sexta-feira, 18 de abril de 2014

Em memória de um pai


“Obrigado por tentares ser forte, quando o mundo parece estar ruindo.

Obrigado pela compreensão, quando, muitas vezes, teu entendimento não encontra justificativa para as atitudes dos que estão à tua volta.

Obrigado pelo sorriso de incentivo, pela palavra amiga, por acreditares em nós na hora em que estamos tentados a desistir. Pela tua vigilante presença e por tentares guiar nossos passos pelo caminho do amor. Por ajudares sempre, compartilhando conosco todos os momentos importantes de nossas vidas.

Obrigado pelo teu silêncio, quando a dor te fez sofrer e não queres nos assustar, e teu grito se faz mudo. Quando teus gestos nos fazem sentir a presença de Deus. Quando reconheces teus erros e tudo fazes para corrigi-los, nos enchendo de orgulho, muitas vezes não manifestado.

Obrigado por saberes esperar, entender que é preciso ter paciência para que se alcancem as metas desejadas e por acreditares e lutares por elas, criando em nós a esperança do amanhã.

Por fim, obrigado por nos dar muito prazer e ter a capacidade de nos fazer sentir a grandeza do teu amor.”

  
A todos os pais que amam verdadeiramente seus filhos.

(Publicado na Zero Hora de 10.08.97, num anúncio de falecimento)


Nenhum comentário:

Postar um comentário