sábado, 19 de abril de 2014

Para ler em um minuto

Jô Soares


Þ Tão distraído que contratou um detetive para saber por onde andava.

Þ Se todos os homens fossem médicos, as mulheres seriam mais pacientes.

Þ As melhores coisas da vida não custam nada. Você só paga as embalagens.

Þ Era profundo como um poço, mas vazio.

Þ Não é que a vida seja curta. O tempo é que passa rápido.

Þ Se alguém o chamar de cachorro, não ligue. Ladre.

Þ Como era o arco-íris antes da TV em cores?

Þ Era tão ruim em Matemática que até seus cálculos renais eram errados.

Þ O livro tinha princípio, meio e fim. Mas não nessa ordem.

Þ O enterro do mau-caráter foi muito concorrido. Todos queriam saber se ele tinha morrido mesmo.

Þ Tão insignificante que seu nome era Psiu.

Þ “Vá ver se eu estou na esquina”, disse o mágico. Foram, e ele estava.

Þ Sua beleza falava por si. Só que ninguém escutava.

Þ Eu acho o papel Yes muito positivo.

Þ Ventríloquo bom agrada até com boneco mudo.

Þ Quando a música é chata o CD é mais longo.

Þ Com tanto astronauta, é normal que a Lua um dia fique cheia.

Þ De que adianta a placa “Cachorro manso” se o cão não souber ler?

Þ Nunca deixe para amanhã o que você já deixou de fazer ontem.

Þ A peça era tão ruim que tinha três atos: um para cada espectador.

Þ Se não fossem os erros, a gente não se enganaria nunca.

Þ Que telefone bonitinho! Só falta falar.

Þ O apartamento era tão pequeno que a visita para sentar tinha que ficar em pé.

Þ Os pilotos dos discos voadores acham que a Terra não existe.

Þ Micróbio muito velho é macróbio.

Þ A bula é o cardápio dos remédios.

Þ Falava alto até por escrito.

Þ Os peixes parecem maiores quando os rios são pequenos.

Þ Era um boxeador tão ruim que só conseguia bater à porta.

Þ Era um trapezista tão medroso que usava rede até nos cabelos.

Þ Era tão pessimista que só via o arco-íris em preto-e-branco.

Þ Hoje em dia, ar poluído é pleonasmo.

Þ La Fontaine, sim, ganhava uma fábula.

Þ O idiota pensa tanto quanto sábio, mas com muito menos resultado.

Þ A rua venceu na vida. Começou como viela e acabou como avenida.

Þ Paradoxo é o seguinte: um baixo-profundo com dois metros e vinte.

Þ As máquinas diminuíram o trabalho dos homens. A não ser para os homens que consertam as máquinas.




Nenhum comentário:

Postar um comentário