domingo, 20 de abril de 2014

Ping-Pong


(Texto de Jô Soares)



* É amanhã que o hoje vira ontem.

* Avião é aquele negócio que sai sempre no horário quando você chega atrasado.

* Gramática é aquilo que ensina a escrever certo o que já se fala errado.

* Com o desmatamento, acabou-se a época do cada macaco no seu galho.

* A mosca tsé-tsé mordeu o chato e morreu de sono.

* Aquele canibal tinha um rei na barriga.

* Perdeu a memória e não conseguia lembrar onde.

* Se não fosse o ponto, as frases seriam muito mais longas.

* Nunca chame ninguém de burro. Seria uma patada.

* O peixinho dourado atravessou o oceano no aquário do navio.

* Cuidado menino! Esse vaso era caro!

* Estava em minoria, mas era o pai.

* Uma rosa é uma rosa é uma rosa, dizia o jardineiro gago.

* Aquele locutor esportivo colocou uma tabuleta no gramado da casa: “Não adentre o tapete verde,
penetre pelas laterais”.

* O diagnóstico no ser humano é muito mais fácil. Por exemplo: o boi, quando fica abatido, já está morto.

* Quem terá ditado todos os ditados?

* Tinha a mesma doença que o seu médico. Só que o seu médico tinha um bom médico.

* A melhor maneira de alfabetizar uma pessoa é ensiná-lo a ler.

* O pior da guerra é perder.

* Branca de Neve: um pleonasmo para crianças.


Nenhum comentário:

Postar um comentário