sexta-feira, 4 de abril de 2014

Rio Antigo



Copacabana anos 50

(Como nos velhos tempos)

Chico Anísio e Nonato Buzar

.


Quero bate-papo na esquina
Eu quero o Rio antigo com crianças na calçada
Brincando sem perigo, sem metrô e sem frescão.
O ontem no amanhã.
Eu que pego o bonde 12 de Ipanema
Pra ver o Oscarito e o Grande Otelo no cinema
Domingo no Rian...
Hum... me deixa eu querer mais, mais paz.
Quero um pregão de garrafeiro,
Zizinho no gramado, eu quero um samba sincopado,
Taioba, bagageiro
E o Desafinado que o Jobim sacou.

Quero um programa de calouros
Com Ari Barroso,
O Lamartine me ensinando um lá-lá-lá-lá-lá gostoso,
Quero o Café Nice de onde o samba vem.
Quero a Cinelândia estreando “E o Vento levou”,
Um velho samba do Ataulfo
Que ninguém jamais gravou,
PRK-30 que valia 100...
Como nos velhos tempos!
Quero carnaval com serpentina,
Eu quero a Copa Roca entre Brasil e Argentina,
Os Anjos do Inferno, Quatro Ases e um Coringa,
Eu quero, eu quero porque é bom!
Eu que pego o meu rádio uma novela,
Depois eu vou à lapa
E faço um lanche no Capela,

Mais tarde eu e ela pros lados do Hotel Leblon...
Quero um som de fossa da Dolores,
Uma valsa do Orestes,
Zum-zum-zum dos Cafajestes.
Um bife lá no Lamas,
Cidade sem aterro como Deus criou.
Quero um chá-dançante lá no clube com Valdir Calmon,
Trio de Ouro com a Dalva,
Estrela Dalva do Brasil,
Quero o Sérgio Porto e o seu bom humor.
Eu quero ver um show do Walter Pinto
Com mulheres mil,
O Rio aceso em lampiões e violões que quem não viu,
Não pode entender o que é paz e amor! 




 Esse foi o Rio que eu (Nilo) amei quando morei aí em 1964 e começo de 1965: Rio sem traficantes, sem pichadores, sem violência desmedida. Rio da Cinelândia, dos programas de auditório nas TVs: Rio (Noites Cariocas), Excelsior (Time Square), Tupy (A, E, I, O, Urca)... Rio dos desfiles de corsos na Avenida Rio Branco... Rio dos ranchos, da Copacabana sem a fundura e o calçadão de hoje. Rio da Lapa e do Dancing Brasil. Rio do Mangue com programas dentro da grana de cada um. Toda praia era praia: Flamengo, Botafogo, Urca, Praia vermelha, Paquetá... Rio dos desfiles pela Avenida Presidente Vargas: Carnaval, 7 de setembro... Rio que eu aprendi a amar e que amarei por toda a minha vida! E quem diria que quando o Rio fez 400: 20 de janeiro de 1965, eu estava ainda na cidade...

1º de março ou 20 de janeiro? - Muitos ficam indecisos entre as duas datas. Por isso, inúmera vez se tem comemorado o aniversário do Rio de Janeiro no dia do santo padroeiro. Para afastar quaisquer dúvidas, fica aqui registrado sucintamente o episódio de fundação da cidade. Em 1555, os franceses invadiram o Rio de Janeiro pretendendo aqui fundar uma colônia. Em 1564, os portugueses resolveram, enfim, organizar uma expedição para expulsá-los e fundar uma cidade fortificada com o objetivo de impedir para sempre outras investidas. Estácio de Sá, sobrinho do governador Mem de Sá, chegou em terras cariocas no dia 28 de fevereiro com alguns navios e soldados, desembarcando na praia entre o morro Cara de Cão e o Pão de Açúcar. No dia seguinte, 1º de março de 1565, fundou oficialmente a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário