sábado, 12 de abril de 2014

Símbolos dos Gaúchos I

Hino

Após uma vitoriosa batalha contra os imperiais de Rio pardo, em 1838, os farroupilhas capturaram a excelente banda musical do batalhão inimigo, que era regida pelo maestro Joaquim José de Mendanha. Com a ajuda do músico, os farroupilhas deram início ao sonho de fazer um hino para a República Rio-Grandense. A música criada pelo maestro tinha melodia com influência europeia, e a letra baseada em um poema do capitão Serafim José de Alencastro. Depois vieram algumas variações até chegar à letra atual, escrita por Francisco Pinto da Fontoura (mais conhecido pela alcunha de Chiquinho da Vovó). 

No dia 5 de janeiro de 1966, a música foi oficializada como Hino do Estado através do Decreto 5.213.

Como a aurora precursora
do farol da divindade,
foi o vinte de setembro
o precursor da liberdade.

            (estribilho)

Mostremos valor constância
nesta ímpia me injusta guerra;
sirvam nossas façanhas
de modelo a toda terra.

Mas não basta p´ra ser livre
ser forte aguerrido e bravo;
povo que não tem virtude
acaba por ser escravo.

Brasão

              
Faz parte da história republicana rio-grandense. O brasão é formado por um escudo oval prata, e um quadrilátero com sabre de ouro onde, na ponta está sustentado um barrete frígio vermelho. Ao lado do sabre cruzando-se no punho ramos de fumo e erva-mate. Emoldurando o quadrilátero está um losango verde com duas estrelas douradas nos ângulos superior e inferior lateralmente duas colunas de ouro e uma bola de canhão dispostas sobre um campo (verde).

Salvo pequenas alterações, o Brasão da Bandeira Rio-Grandense segue o mesmo do tempo dos Farrapos. Sua origem, porém, ainda é desconhecida. Acredita-se que foi esboçada pelo padre Hildebrando, tendo sua arte-final desenhada pelo major Bernardo Pires. O Brasão é formado por um escudo oval prateado circundado por uma boda azul com as inscrições “República Rio-Grandense” e “20 de Setembro de 1835”, separadas por estrelas douradas. Quatro bandeiras do Estado, uma lança da cavalaria e quatro baionetas resguardam o escudo. O Brasão é encerrado com dois canhões cruzados em sua base e um listel prata coma legenda “Liberdade, Igualdade, Humanidade”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário