quinta-feira, 10 de abril de 2014

Versos sobre os bichos



Vi um tejuassu escrevendo
Vi um tamanduá fiando
Uma raposa bordando
Uma tacacá tecendo
Vi feio macaco lendo
Lagarta fazendo telha
Um bando de rã vermelha
Trabalhando num tapume
Vi um tatu com um curtume
Curtindo couro de abelha
Vi um quati marceneiro
Vi um porco agricultor
Timbu velho entalhador
Um veado sapateiro
Um furão como ferreiro
Uma cotia tocando
Quatro preguiças dançando
Um guará vendendo covos
Um coelho batendo ovos
E um jabuti cozinhando
Vi cassaco numa tenda
Vi um camaleão cantando
Um peru vi demarcando
Vi galo vender fazenda
Um rato fazendo renda
Vi bode serrando ripa
Vi burro fazendo pipa
Um cão fazendo papel
Dois sagüis comprando mel
E um gato vendendo tripa
Vi formiga de chocalho
Formigão de granadeira
Vi dois camarões na feira
Comprando queijo de coalho
Um calango no trabalho
- melado de mel de furo
Duas ribas num buraco
Plantando de noite e dia
Imboá na freguesia
Tomando dinheiro a juro
Vi mosca batendo sola
Mucuim tocando flauta
Caranguejo de gravata
E pulga tocar viola
Vi cobra jogando bola
Catita a tocar num busso
Punaré fazendo fuso
Um lacrau no desempate
Besouro como alfaiate
Talhando roupas de uso
Mosquito fumar cigarro
Dois mocós puxando um carro
Cururu cantando moda
Duas gias numa roda
A calafetar um barco
E muriçocas de saco
Comprando peixe na praia
Vi duas éguas de saia
E um aratu com um arco
Vi jumento num bilhar
Pegando mesmo no taco
Lagartixa de navalha
Fazendo as barbas dum sapo
E, comendo de toalha
Um anum de guardanapo
Vi peixe bom fogueteiro
Comprando material
Vi papavento mandar
Na rua trocar dinheiro
Vi coruja de embornal
Numa estrada caminhar
Carrapato reboleiro
Comendo farofa pura
Um bando de tanajura
Almoçando num hotel
Um percevejo de pé
C’um cesto de rapadura
Um gavião coronel...


 

(Gustavo Barroso: Ao som da viola)

Nenhum comentário:

Postar um comentário