quinta-feira, 8 de maio de 2014

Antologia das grandes advertências



Þ    “Não comam desse fruto!”

Þ    “Mãe só tem uma!”.

Þ    “A medicina é um sacerdócio.”

Þ    “Não vai doer nada.”

Þ    “Um dia tudo isso será teu.”

Þ    ”Pra frente é que se anda.”

Þ    “Você um dia vai me dar razão.”

Þ    “Prepare-se para encontrar seu Criador.”

Þ    “Não parece nada com o pai.”

Þ    “Fecha a braguilha.”

As maiores mentiras ou tapeações humanas:

01) Que é que você quer? É o meu caráter.

02) Meu marido não me compreende.

03) A gente tem que sobreviver.

04) Não me entreguei ao sistema. Estou combatendo por dentro.

05) Não fui eu que fiz o mundo.

06) Dos males, o menor.

07) Se eu não aceitasse, eles entregariam o cargo a alguém do outro lado.

08) Ordens são ordens.

09) É só a cabecinha.

10) Se eu não desse, o patrão me despediria.

11) A gente recua dois passos agora, depois avança três.

12) Jamais me perdoarei pelo que estou fazendo.

13) Agora não posso mais recuar.
                                                 
14) Eu nem sabia o que estava assinando.

15) Nunca me aconteceu uma coisa assim, na primeira noite.


(Millôr Fernandes – Revista Veja)



Nenhum comentário:

Postar um comentário