sexta-feira, 16 de maio de 2014

Histórias de um pernóstico*




Havia, na Porto Alegre dos anos 40, um tipo que gostava de se expressar usando uma linguagem rebuscada e empolada. As frases eram pronunciadas com ênfase diferente.
Contavam seus amigos que, durante grossa farra, ouviram-no perguntar a uma parceira, no momento culminante:
- A senhora coloca, ou eu mesmo o faço?


Garantiram esses companheiros de boêmia tê-lo ouvido dizer a uma mulher, no ápice do êxtase:
- Senhorinha, imploro-vos, se não for molesto: insisti na glande!


Durante visita à fazenda de conhecido, resolveu andar a cavalo. Ao colocar o pé no estribo para subir, o arisco animal começou a nadar em círculos. Ao peão que deveria ajudá-lo. Ele bradou:
- Ô servo inútil, sofreia o corcel fogoso!


Numa discussão, não querendo usar uma expressão popular: “Conversa mole pra boi dormir”, muito em voga na época, transformou-se para ele em “metáfora flácida para acalentar bovino”.


Aborrecido com as palavras de um homem na rua, exclamou:
- Se ages por folgazão, perdoo-te. Todavia, se obras a sério, dar-te-ei com uma francha à nuca, transformando tua massa encefálica em substância cadavérica!


Cantava uma conhecida marchinha de Carnaval no trecho que diz “não me importa que a mula manque, o que eu quero e rosetar”, transformou-se, com ele, em “pouco se me dá que azêmola claudique, o que me apraz a acicatá-la”.


Numa reunião familiar, seu irmão mais novo fez referência elogiosa ao respeitado patriarca do clã. Ele comentou:
- Tão pequenino e justiça fazer já sabe aos paternos méritos!


Noutra ocasião, flagrou o filho masturbando-se no banheiro. Impressionado, comentou com a mulher:
- Estou muito preocupado. Acabo de surpreender nosso filho com as mãos crispadas, olhos esbugalhados, cabelos em riste, pênis ereto, ejaculando a esmo!



* Petulante, pretensioso, presumido, pedante.

Um comentário:

  1. Parabéns, interessante e inteligente estas colocações onde não só aprende como ensina. Nosso Português tem tais filustrias agradáveis de ler, ouvir e falar. Pena que o conteúdo está restrito....

    ResponderExcluir