sexta-feira, 16 de maio de 2014

Humor de antigamente



          - Sei que é bom aluno. Diga-me apenas... quais são os quatro Evangelistas?
          Depois de muito puxar pela memória, o estudante respondeu:
          - Os quatro Evangelistas... os quatros Evangelistas  são três: Esaú e Jacó.


          Num baile da província uma menina para o seu par:
          - O senhor Alferes, o senhor é tenente ou capitão?


          Num hotel:
          - Foi o senhor que pediu que o acordássemos a tempo de tomar o trem das 4?
          - Sim senhor, eu mesmo.
          - Muito bem; pode continuar a dormir, porque o trem já saiu há meia hora.


          Num baile recente, no meio de uma valsa:
          Ela:
          - O senhor gosta de dança?
          Ele:
          - Muitíssimo, minha senhora. Sou apaixonado.
          Ela (com simplicidade):
          - Então, por que não aprendeu a dançar.


          Num Tribunal:
          Juiz:
          - O seu nome?
          Testemunha:
          - Polidoro.
          - A sua profissão?
          - Ferrador de cavalos para servir a Vossa Excelência.


          Num Tribunal, durante um julgamento, perguntava o juiz a uma das testemunhas:
          - O senhor estava presente quando o acusado disparou o primeiro tiro?
          - Estava, sim, senhor.
          - A que distância?
          - A dois passos.
          - E quando ele disparou o segundo?
          - A um quilômetro.


          Um inglês está jantando com sua mulher.
          Vem o assado, e ela cai fulminada com uma apoplexia.
          O marido, muito grave, toca a campainha. Aparece o criado.
          Ele, apontando para o corpo da mulher.
          - Leve a senhora, e traga as batatas.


          - Diga-me, mamãe, como se chama a mãe de um burrico pequeno:
          - Uma burrica, meu filho.
          - Então por que é que tu me chamas constantemente de burrico?


         Certo boticário, casado com uma mulher muito feia e má, tinha por emblema de seu negócio um anjo. Alguém procurando pela botica, perguntou a um colega, que respondeu:
         - É ali a botica que tem um anjo à porta e o diabo em casa.

         Um homem que era infeliz em todas as suas empresas, exclamou cheio de desgosto:
       - Eu creio que se tivesse aprendido o ofício de chapeleiro, Deus teria criado os homens sem cabeça!


     Tendo um amante surpreendido sua namorada nos braços de seu rival, ela lhe negou atrevidamente o fato.
          - Como, disse ela, eu bem vejo que já não me amas, visto que crês mais no que vês, do que eu te digo.


          Na delegacia:
          - Onde mora você?
          - Moro com meu irmão.
          - Onde mora seu irmão?
          - Mora comigo.
          - E onde moram os dois?
          - Moramos juntos.


          Disse um sujeito:
          - Na minha opinião, os imbecis deviam de ser todos atirados ao mar.
          Um amigo respondeu-lhe:
          - Nesse caso será bom ires aprender a nadar

Nenhum comentário:

Postar um comentário