sexta-feira, 16 de maio de 2014

Uma antiga rua de Porto Alegre



Atual Rua Espírito Santo, antigo Beco do Cemitério.
(Descendo para a rua Fernando Machado)


A Rua Espírito Santo, (começa na Rua Duque de Caxias. Ao lado da Catedral e termina na Rua Washington Luís) por muito tempo, usou-se indiferentemente o nome de Beco do Império ou de Beco do Cemitério*, pra esta ladeirenta via pública. Em 1856, os vereadores resolveram mudar as placas de Beco do Cemitério para Beco do Espírito Santo. Em 1881 já recebe o tratamento de Rua do Espírito Santo, que não mais perdeu.

* Sabe-se, hoje, que o quadrilátero das ruas Duque de Caxias e Fernando Machado era onde estava localizado primeiro cemitério de Porto Alegre. O beco passava pelo meio dele. Agora, fazendo-se uma escavação na Cúria Metropolitana, estão descobrindo centenas de ossadas humanas.

Só os poetas da cidade continuaram falando em “Beco do Império”. Mário Quintana, em seu poema “Imemorial”, escreveu:

À noite pervaguei pelo Beco do Império
que há cinquenta anos não existe mais
e as horríveis mulheres, nos portais,
estavam belas de eu sonhar com elas.

E Athos Damasceno, em seus Poemas da minha cidade, dedicou um deles ao “Beco do Império”:

O silêncio, no beco escuro,
dependurou a sombra no muro e dorme...
Lúgubre, dentro do negro cenário
pesa o maciço Seminário disforme...
Na esquina, o vulto vago do guita,
sob o lampião se move e... apita, pausado...
Ninguém responde... E o guarda, a medo,
sob a rua do Arvoredo, curvando...

Referências:

Franco, Sérgio da Costa. Guia Histórico de Porto Alegre. Porto Alegre:
Editora da Universidade (UFRGS)/Prefeitura Municipal, 1992


Nenhum comentário:

Postar um comentário