domingo, 22 de junho de 2014

As pequenas histórias é que são as grandes histórias...

Salvo pela gentileza

Conta-se uma história de um empregado em um frigorífico da Noruega.

Certo dia, ao término do trabalho, foi inspecionar a câmara frigorífica. Inexplicavelmente, a porta se fechou e ele ficou preso dentro da câmara. Bateu na porta com força, gritou por socorro, mas ninguém o ouviu, todos já haviam saído para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo.

 Já estava há quase cinco horas preso, debilitado com a temperatura insuportável. De repente, a porta se abiu e o vigia entrou na câmara e o resgatou com vida.

Depois de salvar a vida do homem, perguntaram ao vigia por que ele foi abrir a porta da câmara se isto não fazia parte da sua rotina de trabalho...

Ele explicou:

- Trabalho nesta empresa há 35 anos, centenas de empregados entram e saem aqui todos os dias e ele é o único que me cumprimenta ao chegar pela manhã e se despede de mim ao sair. Hoje pela manhã disse: “Bom dia” quando chegou. Entretanto não se despediu de mim na hora da saída. Imaginei que poderia ter lhe acontecido algo. Por isto o procurei e o encontrei...

O poder do beijo

Vinha pela estrada uma caravana de motociclistas fortes, bigodudos em suas poderosas motos, quando de repente eles veem uma garota a ponto de saltar de uma ponte sobre um rio caudaloso e profundo.

Eles param e o líder deles, particularmente corpulento e de aspecto rude, salta, se dirige a ela e pergunta:

- Que diabos você está fazendo, moça?

- Vou me suicidar.* - Responde suavemente a delicada garota com a voz cadenciada e ameaçando pular.

O motociclista pensa por alguns segundos e, finalmente, diz:

- Bom, antes de saltar, por que você não me dá um beijo?

Ela acena com a cabeça, bota de lado os cabelos compridos e ruivos e dá um beijo longo e apaixonado na boca do motociclista parrudão.

Depois desta intensa experiência, a gangue de motoqueiros aplaude, o líder recupera o fôlego, alisa a barba e admite:

- Este foi o melhor beijo que me deram na vida. É um talento que se perderá caso você se suicide. Por que quer morrer, minha princesa?

- Meus pais não gostam que eu me vista de mulher!


* Parece que o caso terminou classificado como homicídio e não suicídio...



Nenhum comentário:

Postar um comentário