segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Meu Credo

John D. Rockfeller Jr., em programa de rádio nos anos 40.*


Creio na dignidade do trabalho, físico ou mental; o mundo deve a todo homem uma oportunidade para ganhar a vida.

Creio no valor supremo do indivíduo e no seu direito à vida, à liberdade e à busca da felicidade.

Creio que a justiça e a verdade são os fundamentos da ordem social duradoura.

Creio que o prometido é sagrado, que a palavra de um homem deve valer tanto quanto as suas obrigações; que o seu caráter - e não sua riqueza, seu poder ou sua posição - é o supremo índice do seu valor.

Creio que todo direito implica uma responsabilidade; toda oportunidade, uma obrigação; toda posse, um dever.

Creio que a Lei foi feita para o homem, e não o homem para a Lei; que o governo é o servo do povo e não o seu senhor.

Creio que a economia é essencial a uma existência bem organizada, sendo requisito primordial para uma estrutura sólida, seja para os governos, para os negócios ou para os indivíduos.

Creio que prestar serviços úteis é o dever comum da humanidade e que somente o fogo purificador do sacrifício consome a escória do egoísmo e revela a grandeza da alma humana.

Creio que há um Deus todo amor e todo poderoso, qualquer que seja seu nome, e que, para cumprir sua suprema missão, conseguir sua maior felicidade e tornar-se inteiramente útil, o homem precisa viver em harmonia com a vontade divina

Creio que nada é mais grandioso que o amor; que somente o amor sobrepuja o ódio; que o direito pode triunfar e triunfa sobre a força.

(Seleções do Reader´s Digest, abril de 1945)


* John Davison Rockefeller Jr. (29 de janeiro de 1874 - 11 de maio de 1960), empresário e filantropo estadunidense. Era o único homem entre os cinco filhos do magnata do petróleo, John Davison Rockefeller, considerado o homem mais rico de todos os tempos. Era invariavelmente chamado de Júnior, para diferenciá-lo de seu pai famoso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário