domingo, 3 de agosto de 2014

Poemas infantis de Cecília Meireles

          


Talvez uma das coisas mais legais nas poesias infantis seja a associação lúdica entre imagem e palavra. Isso fica mais evidente para mim quando penso no livro “Ou isto, ou aquilo” de Cecília Meireles. Se eu fosse fazer uma seleção das melhores poesias que já li, colocaria o texto “O Mosquito Escreve” entre elas. Não pela profundidade, mas pela inventividade.

        

O Mosquito Escreve




O Mosquito pernilongo
trança as pernas, faz um M,
depois, treme, treme, treme,
faz um O bastante oblongo,
faz um S.

O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
faz um Q,
faz um U e faz um I.

Esse mosquito esquisito
cruza as patas, faz um T.
E aí, se arredonda e faz outro O,
mais bonito.

Oh!
já não é analfabeto,
esse inseto,
pois sabe escrever o seu nome.

Mas depois vai procurar
alguém que possa picar,
pois escrever cansa, não é, criança?
E ele está com muita fome.


Sonhos da menina



A flor com que a menina sonha
está no sonho?
ou na fronha?
Sonho
risonho:
O vento sozinho
no seu carrinho.
De que tamanho
seria o rebanho?
A vizinha
apanha
a sombrinha
de teia de aranha...
Na lua há um ninho
de passarinho.
A lua com que a menina sonha
é o linho do sonho
ou a lua da fronha?

                                                                                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário