terça-feira, 30 de setembro de 2014

Tarefas de Pantagruel

Gangântua, o personagem de Rabelais,
pediu ao filho Pantagruel que atingisse as seguintes metas

Eu pretendo e insisto que você aprenda com perfeição todas as línguas; primeiramente e antes de todas as outras, grego, pelo método de Quintiliano; então latim, e depois hebraico, e depois árabe e o caldeu. No idioma grego, gostaria que seu estilo se formasse tomando Platão como modelo, e no latim, a Cícero. Que não existe nenhum episódio da história que não tenha na ponta da língua, e estude profundamente cosmografia e geografia. Das artes liberais, como geometria, matemática e música, das quais lhe transmiti as primeiras noções quando você tinha pouco menos de cinco anos, esperaria agora que você as dominasse plenamente. Estude astronomia, mas não quiromancia ou astrologia, as quais considero meras futilidades. Quanto ao direito civil, espero que saiba de cor os compêndios. Também deve ter um perfeito conhecimento das obras da natureza, de modo que não haja nenhum mar, rio ou o mais ínfimo córrego sobre o qual não saiba quais os peixes que ali são mais comuns, qual a sua fonte e para onde segue seu curso; todas as aves que andam pelos ares, todos os arbustos e arvores, pertençam eles a uma floresta ou a um pomar, todas as ervas e flores, todos os metais e pedras, devem ser dominados e conhecidos por você. Ao mesmo tempo não descuide de ler cuidadosamente todos os talmudistas e cabalistas, e certifique-se de, por meio de constantes dissecações, adquirir perfeito conhecimento desse outro mundo chamado microcosmo, que é o ser humano. Trate de dominar esses campos enquanto está nos seus anos de juventude e cuide para que nada seja conhecido de modo superficial; à medida que avançar pela vida adulta, você deve aprender a arte da cavalaria, da guerra e das manobras de campo.



“O homem vale tanto quanto o valor que dá a si próprio.”

François Rabelais Chinon, (1494 - Paris, 9 de abril de 1553) foi um escritor, padre e médico francês do Renascimento, que usou, também, o pseudônimo Alcofribas Nasier (um anagrama de seu verdadeiro nome).


Ficou para a posteridade como o autor das obras primas cômicas Pantagruel e Gargântua, que exploravam lendas populares, farsas, romances, bem como obras clássicas. O escatologismo é usado para condenação humorística. A exuberância da sua criatividade, do seu colorido e da sua variedade literária asseguram a sua popularidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário