terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Alexandre Dumas, pai

               Pseudônimo de Dumas Davy de la Pailleterie



Alexandre Dumas, pai, 1802 – 1870, famoso escritor francês autor de obras como: “Os Três Mosqueteiros”, “O Conde de Monte Cristo” e “O Homem da Máscara de Ferro”.

Viver de Letras


Alexandre Dumas, nome ignorado, até então, chegou a Paris e apresentou-se ao general Fay a quem fora recomendado. O velho militar indagou:

- Que sabe o meu amigo? Estudou matemática?

- Não, general.

- Mas tem, talvez, algumas noções de geometria, de física?

- Desconheço inteiramente tais matérias.

- E alguns rudimentos de Direito?

- Também não, general.

- E latim ou grego?

- Muito menos.

- Tem, acaso, prática de escrituração comercial?

- Nenhuma.

Disse-lhe então o general compadecido já de tanta ignorância:

- Dê-me o seu endereço. Pensarei, oportunamente, num meio de ajudá-lo. Por enquanto não vejo nenhuma possibilidade a seu favor, tamanho é o desconhecimento que revela sobre todos os assuntos essenciais ao desempenho de uma profissão qualificada.

Num recorte de papel estendido pelo general, Alexandre Dumas escreveu o seu endereço:

- Estamos salvos! – exclamou o general. Tem, pelo menos, uma linda letra. Vamos aproveitá-lo como copista de textos na Biblioteca Nacional.

Após iniciar o trabalho, Dumas foi agradecer ao general o emprego que lhe destinara. E disse-lhe:

- Vou viver da minha “letra”, general; mas asseguro-lhe que, um dia, hei de viver das letras...


*****

   
*****

Frases de Alexandre Dumas:

“Por vezes é penoso cumprir o dever, mas nunca é tão penoso como não cumpri-lo.”

“Suprimir a distância é aumentar a duração do tempo. A partir de agora, não viveremos mais; viveremos apenas mais depressa.”

“Não poderá a velhice chegar tão depressa que não tenhamos de fazer meio caminho para ir ao seu encontro? De resto, o que é que nos faz velhos? Não é a idade, são as doenças.”

“Nos negócios não existem amigos, apenas clientes.”

“O mais feliz dos felizes é aquele que faz os outros felizes.”

“Os negócios são o dinheiro dos outros.”

“A mulher pensa em nada ou em algo muito semelhante.”

“O solteirão aborrece-se em todo o lado. O casado somente em casa.”

“Todas as mulheres querem ser estimadas e dão bastante menos importância ao fato de serem ou não respeitadas.”

“Em amor, não há último adeus, senão aquele que se não diz.”

“A cadeia do casamento é tão pesada, que são precisos dois para carregar com ela.”

“O destino de uma mulher lê-se nas feições do marido.”

“Há favores tão grandes que só podem ser pagos com a ingratidão.”

“São as mulheres que nos inspiram para as grandes coisas que elas próprias nos impedem de realizar.”

“Os maridos das mulheres que nós admiramos parecem-nos sempre estúpidos.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário