quinta-feira, 30 de julho de 2015

Vinho - o melhor amigo do homem


Jairo Monson de Souza Filho*


Alguns julgam que o melhor amigo do homem é o cão. Eu acho que é o vinho.

O vinho, diferente do cão, lhe proporcionará bons momentos mesmo que você não lhe dispense carinho e atenção. O cão apenas lhe retribui a amizade. Se você for hostil com ele, ele não será seu amigo.

O vinho é uma bebida companheira. Vejam:

Que outra bebida se não o vinho pede a companhia de outra(s) pessoa(s)? Destilado, cerveja ou refrigerante são fáceis de beber sozinho; mas vinho não. O vinho estimula uma boa conversa e sempre valoriza a companhia, o local e a ocasião. Existe mais conhecimento dentro de uma garrafa de vinho do que se pode imaginar. Não é comum e nem agradável abrir uma garrafa de vinho para beber sozinho. Já com outra bebida isso não é tão difícil.

Que outra bebida se não o vinho pede a companhia de uma boa comida? Vinho e comida foram feitos um para o outro. Não é aprazível beber vinho sem comer algo. Já com outras bebidas o alimento pouco importa. O néctar dos deuses é capaz de agregar muito a um prato. Os ingredientes da culinária ganham expressão quando combinados com vinho. Uma comida, quando acompanhada de vinho, ganha mais sabor e nos dá mais prazer. O vinho pede comidas mais saudáveis. Isso ficou evidente em estudos feitos na Dinamarca e França onde se viu que quem tem o hábito de beber vinho, invariavelmente, consome alimentos mais benfazejos.

Que outra bebida se não o vinho se beneficia da companhia da água? Imagine beber refrigerante, cerveja e mesmo destilado com água… O vinho não se incomoda com o acompanhamento da água. Antes pelo contrário. É a única bebida que se completa com a água. E a água (com ou sem gás) ganha importância quando acompanha o vinho. Deixa de ser apenas um líquido composto de hidrogênio e oxigênio, transparente, sem cor, aroma e sabor e se transforma em um componente importante da refeição. A água serve para saciar a sede e lavar as papilas gustativas; o vinho para dar sabor e prazer.

Que outra bebida se não o vinho é capaz de proporcionar tantos benefícios para a saúde? Centenas de milhares de estudos científicos quebraram um paradigma. Até há cerca de 20 anos atrás se dizia que beber vinho (e outras bebidas alcoólicas) era tão prejudicial para a saúde quanto fumar cigarro. Hoje as evidências científicas mostram que o vinho, se bebido com moderação quando não há contraindicação ao seu consumo, faz parte de um estilo de vida saudável.

Que outra bebida se não o vinho pede a companhia da moderação? Vinho só se desfruta com moderação. O abuso é desagradável. Não faz bem nem ao corpo nem ao espírito. É incomum alguém embebedar-se com ele. O vinho também induz moderação nas atitudes. Não é habitual ocorrer discussão ou alteração entre as pessoas que o bebem. Já tudo isso não se pode dizer de outras bebidas alcoólicas.

Que outra bebida se não o vinho se acompanha comumente da alegria? Ele atrai a alegria. Ameniza a tristeza e valoriza os bons momentos. Você já viu alguém que bebeu vinho “curtindo fossa” ou “de baixo astral”? Isso possivelmente porque os vinhos têm um alto teor de triptofânio que é um precursor da serotonina. Esta é o neurotransmissor que está diminuído no cérebro das pessoas que sofrem de depressão. O vinho é um parceiro que traz alegrias.

Que outra bebida se não o vinho agrada a uma heterogeneidade tão grande de pessoas? O vinho é a bebida da diversidade. Os vinhos são ecléticos e por isso mais fáceis de agradar. São bebidas que se desdobram numa multiplicidade de cores, aromas e sabores na ânsia de agradar a muitos.

Como se viu, o vinho é uma bebida companheira. Ele favorece a um estilo de vida mais saudável, prazeroso e induz à sensatez. Todos esses são predicados de um verdadeiro amigo.


*Médico cardiologista e estudioso dos assuntos
relacionados a vinho e saúde.




Nenhum comentário:

Postar um comentário