sábado, 26 de setembro de 2015

40 frases venenosas



             Uma seleção de 40 frases célebres de personalidades de díspares perfis, nacionalidades e épocas – venenosas, mal humoradas, engraçadas ou cruéis –, as frases revelam o olhar preciso e ferino de seus autores sobre os temas abordados. A autenticidade de cada frase foi checada para não incorrer nos risco das falsas atribuições em meio a profusão de textos apócrifos e equívocos relativos à autoria. A seleção traz nomes como H. L. Mencken, Ambrose Pierce, Ernest He­mingway, Nelson Ro­drigues, Voltaire, Paulo Francis, Otto Von Bismarck, Woody Allen, Robert Benchley, J. Pierpont Mor­gan, Simone de Beauvoir, além provérbios e frases autorais, que foram emprestadas às personagens e obras por intermédio de seus criadores.


Eis, as 40 frases escolhidas.

— O adultério é a democracia aplicada ao amor. H. L. Mencken

— Todo homem decente se envergonha do governo sob o qual vive. H. L. Mencken

— A guerra é a forma de Deus ensinar geografia aos americanos. Ambrose Pierce

— Se as duas pessoas se amam, não pode haver final feliz. Ernest Hemingway

— Qualquer idiota consegue ganhar a vida representando. Ora, Shirley Temple já fazia isso aos 4 anos! Katharine Hepburn

— A cama é a ópera dos pobres. Provérbio italiano

— Todo canalha é magro. Nelson Rodrigues

— O casamento é a única aventura ao alcance dos covardes. Voltaire

— Todos os casamentos são felizes. Tentar viver juntos depois é que causa os problemas. Shelley Winters

— Os baianos invadiram o Rio para cantar “Ó, que saudades eu tenho da Bahia…” Bem, se é por falta de adeus, PT saudações. Paulo Francis

— O filme é uma merda, mas o diretor é genial. Paulo Francis

— Ser da classe média é achar Godard o máximo. Paulo Francis

— Quando ouço falar em ecologia, saco logo meu talão de cheques. Paulo Francis

— A ignorância é a maior multinacional do mundo. Paulo Francis

— O balé é o beisebol das bichas. Oscar Levant

— Todo homem se torna a coisa que mais despreza. Robert Benchley

— Deus não existe e, se existe, não é muito confiável. Woody Allen

— O que importa não é o fato, mas a versão. José Maria Alkmin

— Se você tem de perguntar quanto custa, é porque não pode comprar. J. P. Morgan

— A velhice é a paródia da vida. Simone de Beauvoir

— Só há uma coisa mais rara do que uma primeira edição de certos autores: uma segunda edição. Franklin P. Adams

— As pessoas nunca mentem tanto quanto depois de uma caçada, durante uma guerra ou antes de uma eleição. Otto Von Bismarck

— A mulher ideal é sempre a dos outros. Stanislaw Ponte Preta

— Abraço e punhalada a gente só dá em quem está perto. Otto Lara Resende

— Todas as coisas de que gosto ou são imorais e ilegais ou engordam. Alexander Woollcott

— De vez em quando um homem inocente é escolhido para a legislatura. Kin Hubbard

— A filosofia é composta de respostas incompreensíveis para questões insolúveis. Henry Brooks Adams

— Na política é difícil distinguir os homens capazes, dos homens capazes de tudo. Henri Béraud

— A maneira mais fácil de ficar livre da tentação é ceder a ela. Tristan Bernard

— Fez o melhor que podia — é porque não foi bom o bastante. Arthur Koestler

— Aquele que se casa por dinheiro, tem pelo menos um motivo razoável. Gabriel Laub

— Um conservador é um homem muito covarde para lutar e muito gordo para correr. Elbert Hubbard

— O homem se desenvolve, melhora ou corrompe, mas não cria nada. Antoine Fabre d’Olivet

— Aplique o marxismo em qualquer país e você sempre encontrará um gulag no final. Bernard-Henri Lévy

— O segredo do sucesso, nos negócios como no amor, é a dissimulação. René Girard

— Nasce um otário a cada minuto. P.T Barnum

— O patriotismo é o último refúgio dos canalhas. Samuel Johnson

— Ao contrário do que se diz, pode-se enganar a muitos durante muito tempo. James Thurber

— O objetivo do socialismo é elevar o nível de sofrimento. Norman Mailer

— Perdoar, sim; esquecer, nunca. John Kennedy



Nenhum comentário:

Postar um comentário