segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Ano Novo



“Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial!

Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar
e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação
e tudo começa outra vez,
com outro número e outra vontade de acreditar

que daqui para diante tudo vai ser diferente...”

(Mário Quintana)

Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem diga nem todas,
só as de verão.
Mas no fundo isso não tem muita importância.
O que interessa mesmo não são as noites em si,
são os sonhos.
Sonhos que o homem sonha sempre.
Em todos os lugares,
em todas as época do ano,
dormindo ou acordado.

(William Shakespeare)


“Viva seus sonhos,
viva-os bem,
dedique-lhes altares,
celebre seus mistérios.
Não é a perfeição,
mas já é um caminho.
Não há nenhum sonho perdurável.
Uns substituem os outros
e não devemos esforçar-nos
por nos prender a nenhum.
Ninguém pode escolher
a onda a que obedecerá,
nem o polo pelo qual será atraído.
Seu destino o ama.
Algum dia lhe pertencerá por completo,
como você sonha,
se continuar-lhe sendo-lhe fiel.”

(Herman Hesse)


Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor de arco-íris,
ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano não apenas pintado de novo,
remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a ser (...)
Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar que por dentro de esperança
 a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados,
começando pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo,
eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

(Carlos Drummond de Andrade)


Dizem por aí que nossa vida é como um livro.
E é verdade. Algumas linhas, poderíamos reler dezenas de vezes.
Outras, pularíamos sem hesitar.
Mas ainda não inventaram nada mais fascinante
do que imaginar como serão as próximas páginas.

Quantos não fariam de tudo para
poder dar uma olhada lá na frente...

Mas quer saber?
 É mais emocionante ler um livro sem saber o final,
assim como o melhor de viver
é aproveitar o sabor único de cada momento.

Portanto, já que estamos começando um novo ano,
vamos aproveitar para escrevê-lo com toda a intensidade.
Deixe a borracha de lado.

E, o mais importante, tenha sempre em mente
que sua história pode ter diversos personagens,
mas um único autor: você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário