segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Esse cara sou eu – variações


Esse cara sou eu

O cara que pensa em você toda hora,
Que conta os segundos se você demora,
Que está todo o tempo querendo te ver,
Porque já não sabe ficar sem você,
E no meio da noite te chama
Pra dizer que te ama,
Esse cara sou eu.

O cara que pega você pelo braço,
Esbarra em quem for que interrompa seus passos,
Está do seu lado pro que der e vier,
O herói esperado por toda mulher,
Por você ele encara o perigo,
Seu melhor amigo,
Esse cara sou eu.

O cara que ama você do seu jeito
Que depois do amor você se deita em seu peito
Te acaricia os cabelos, te fala de amor
Te fala outras coisas, te causa calor
De manhã você acorda feliz
Num sorriso que diz
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu

Eu sou o cara certo pra você,
Que te faz feliz e que te adora,
Que enxuga seu pranto quando você chora,
Esse cara sou eu,
Esse cara sou eu.

O cara que sempre te espera sorrindo,
Que abre a porta do carro quando você vem vindo,
Te beija na boca, te abraça feliz
Apaixonado te olha e te diz
Que sentiu sua falta e reclama
Ele te ama.
Esse cara sou eu,
Esse cara sou eu,
Esse cara sou eu,
Esse cara sou eu.

Esse gordo sou eu


O cara que pensa em comer toda hora,
Que conta os segundos se a pizza demora,
Que está todo o tempo querendo te ver,
Mas só você tiver feito pavê
E no meio da noite levanta
Pra ver se sobrou janta,
Esse cara sou eu.

O cara que pega mais de um pedaço
E quando faz dieta sempre é um fracasso,
Está sempre a postos com sua colher,
Para não perder uma migalha sequer,
Pra comer ele encara o perigo
Até jiló com figo,
Esse cara sou eu.

O cara que ama comer sobremesa,
Que depois do almoço quer torta holandesa.
Acaricia a barriga, aperta o abdome,
Solta um pum e te diz: “Ainda tô com fome”.
De manhã cedo já está de pé,
Te pedindo café,
Esse cara sou eu
Esse gordo sou eu.

Eu sou o cara certo pra você
Que come qualquer coisa que fizer
Só não lava a louça que é coisa de mulher
Esse cara sou eu
Esse gordo sou eu.

O cara que adora comer uma besteira
Que nunca deixa sobrar nada na geladeira
Te beija na boca, te abraça feliz
Apaixonado, te olha e te diz
Que sentiu sua falta e reclama
“Onde está minha janta?”
Esse cara sou eu
Esse gordo sou eu
Esse gordo sou eu
Esse gordo sou eu

 Esse otário sou eu


O cara que pensa em beber toda hora,
Que conta os segundos se a cerveja demora
Que seu argumento é beber e beber,
Que só faz bobagem e envergonha você
E de noite faz xixi na cama,
Ai, meu Deus, que vergonha!
Este otário sou eu.

O cara que começa beber e fica chato
Que nem um barril de chope interrompe os seus passos
É um pobre coitado que não sabe o que quer
É um abestado, é um Zé mané
Se beber fica bem atrevido
Seu pior amigo
Esse otário sou eu

O cara que mete manguaça no peito
Que depois que tomou fica meio sem jeito
Que olha pras coisas que vomitou
Que cai de joelho porque tropeçou
De manhã uma ressaca infeliz
Muito triste te diz
Esse otário sou eu

Eu sou um boca aberta podes crer
Que te faz infeliz mas te adora
Que te abusa de um tanto até que você chora
Esse otário sou eu
Esse otário sou eu

O cara doente que só fica dormindo
Que já não se importa se você vai ou vem vindo
Que quando abre a boca você tranca o nariz
Atrapalhado não olha e não diz
Quando enche a cara de cana
Deita na cama
Esse otário sou eu

Esse mala sou eu


Um mala que liga a cobrar toda hora,
Que conta pros outros que você é broxa,
Que posta sou gay quando vê o seu face,
Quando ele pode sacaneia você
E no meio da noite te chama, pra pedir uma grana.
Esse mala sou eu!

O mala que dá um belisco no braço,
Empurra você enquanto mija no vaso,
Pinta o cabelo com "viena hair",
Já deu em cima da sua mulher.
No avatar parece bonito.
Come mais que um mendigo!
Esse mala sou eu!

O mala que olha só pro seu peito,
Que te marca na foto em que você está feio,
Vai usar o banheiro e faz cocô
De porta aberta porque está calor,
Quando fala é quase um chafariz,
Pede um pedaço do "biss"
Esse mala sou eu!

Eu suo pra caralho tenho "cecê"
Te perturbo desde a escola
Na tua toalha enxuguei minha piroca
Esse mala sou eu!
Esse mala sou eu

 Esse tapa doeu


O cara que pega em seu pé toda hora,
Que conta os segundos que você demora,
Que te chateia e humilha sem se conter,
Como um carrapato, gruda em você.
E no meio da rua faz drama,
De ciúmes, reclama.
Esse cara sou eu

O cara que nega a você um abraço.
Finge sucesso, mas no fundo é um fracasso,
Que está do seu lado e olha pra outra mulher.
O marido camuflado de superchofer.
Quase sempre te expõe ao perigo
Seu pior castigo,
Esse cara sou eu.

O cara que engana você sem respeito.
Que depois do amor se queixa que não foi bem feito.
Critica seus cabelos, te fala com dissabor,
Mostra as roupas sujas, altera o humor.
Te difama tal qual meretriz.
Se confessa infeliz.
Esse cara sou eu

Eu sou um cara esperto pra você.
Que te faz ardis, até dorme fora.
Que te espanca tanto quando você chora.
Esse cara sou eu

O cara que sempre te engana sorrindo.
Que finge estar sóbrio enquanto você vem vindo.
Te vê como louca, te acha aprendiz.
E descarado, te olha e te diz:
Que sentiu só a falta da grana,
Ele exclama:
Esse tapa doeu!

Esse vagabundo sou eu


O cara que assiste futebol toda hora,
Dá graças a Deus se você demora!
Por que quando chega já vem pra TV,
Trocar pra novela do SBT!
E que no meio da noite te chama,
Se me empurra da cama!
Esse cara sou eu!

O cara que dança fora do compasso,
Que atura você reclamar de tudo que eu faço!
Está do teu lado querendo sumir,
Quando a TPM resolve agir!
Nessas horas eu corro perigo,
Penso bem no que digo...
Esse cara sou eu!

O cara que esquece a toalha molhada,
Não baixa e nem ergue a tampa da privada,
Te chama de madrugada, querendo amor,
Você ignora e puxa o cobertor!
De manhã eu acordo de tarde!
A preguiça me invade!
Esse cara sou eu!

Eu sou o cara errado pra você,
E que com esses erros te completa,
Que te leva na garupa da bicicleta.
Esse cara sou eu!

O cara que sempre te espera com medo,
Fecha a porta do carro e tranca o seu dedo,
Que te deixa louca, com louça na pia,
Que divide o carnê da Casas Bahia!
Sempre tapa os ouvidos e canta,
quando você reclama
Esse vagabundo sou eu!

Esse cérebro é meu


O cara que pensa em comer toda hora
Que conta os segundos e te devora
Que está todo o tempo querendo comer
Porque já não sabe ficar atrás você
E no meio da noite te levanta da cama
Pra grunhir que te ama
Esse cérebro é meu

O cara que morde você pelo braço
Esbarra em quem for que interrompa seus passos
Está do seu lado pro que der e vier
O zumbi abominado por toda mulher
Por você ele encara o perigo
Seu pior inimigo
Esse cérebro é meu

O cara que anda atrás de você de qualquer jeito
Que depois do terror você perde seu peito
Te arranca os cabelos, te assusta de horror
E morde outras coisas, te causa dor
De manhã você ressuscita feliz
Num grunhido que diz
Esse cérebro é meu.



Esse crente sou eu


O crente que dorme pensando em dinheiro,
Que sonha com dólar, real e muito euro,
Que pensa que a vida não tem tribulação,
Onde está o tesouro está seu coração.
Ele ajunta riquezas no mundo.
Cai num buraco sem fundo.
Esse crente sou eu.

O crente que grita, pula e dança toda hora.
Que é extravagante e pensa que adora.
Que gosta de funk, axé e tcheretchetchê.
Que passa o dia ouvindo CD.
Pense num crente que está sem foco
Seu coração está oco.
Esse crente sou eu.

O crente que pensa em novela toda dia,
Que ama a Globo e odeia teologia,
Que está toda noite assistindo tevê,
Detesta leitura e a Bíblia nunca lê,
E não evangeliza e não clama,
Porque o mundo ama,
Esse crente sou eu.

Esse aluno sou eu


O cara que acorda cedo pra ir pra escola
Que conta os segundos pro fim da aula
Que está todo tempo fazendo dever
Porque tá querendo simplesmente aprender

E no meio da aula reclama
Dizendo que quer voltar pra cama
Esse aluno sou eu

O aluno que precisa de um abraço
Porque se não passar de ano, não terá churrasco
Está ferrado se a matéria não tiver
O aluno que não tem tempo nem chupar sacolé

Ele só tem um livro
Que considera seu amigo
Esse aluno sou eu

O aluno que levou esporro da professora
Porque se cortou com a tesoura
Que coca a cabeça de tanto calor
Não adianta ar condicionado
Muito menos ventilador
É meu amigo, esse aluno sou eu

 Esse investidor sou eu


O investidor que controla muito bem seus recursos,
Que conta os centavos para evitar a penhora,
Que emprega o dinheiro e o mercado prevê,
Investe em poupança, ações e CDB,
Que até um analista chama,
A preço de banana,
Esse investidor sou eu.

O investidor que tem uma carteira de aço,
Quando o mercado está arisco calcula seus passos,
Faz carteiras renderem o quanto quiser,
Os rendimentos aumentarem o quanto puder.
Quando enxerga o mínimo de perigo,
Liquida logo o investido,
Esse investidor sou eu.

O investidor que para tudo dá um jeito,
Que não pede conselhos a um amigo do peito,
Consulta um analista, pede até por favor,
Para que o mercado volte a todo vapor.
Tem o balanço da forma que quis.
Sorrindo, ele diz:
Esse investidor sou eu.

É o investimento certo pra você,
Nossa felicidade não demora,
Soma dividendos toda hora
Esse investidor sou eu

O investidor que sempre está sorrindo
Que a toda hora vê seus lucros subindo
Que olha seus lucros, feliz e diz
No próximo investimento eu quero bis
Para ele o dinheiro emana
Um analista ele chama.
Esse investidor sou eu





Nenhum comentário:

Postar um comentário