sábado, 5 de dezembro de 2015

O Realismo no Brasil


01. Época:

→ O Realismo, em nossas letras, manifestou-se na segunda metade do século XIX


02. Data e obra que assinala o início do Realismo:

→ 1881 - ano da publicação de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis.


03. A que estilo se opõe o Realismo:

→ Combatendo o individualismo e os valores burgueses, o Realismo opõe-se ao Romantismo.


04. Ideias que predominavam na sociedade contemporânea ao Realismo:

→ O Realismo reflete uma sociedade em que à cristalização da burguesia, do capitalismo e da industrialização corresponde ao surgimento do proletariado (operários). Tais contradições manifestam-se na Filosofia de Hegel, no Positivismo de Auguste Comte, no Socialismo de Proudhon, no evolucionismo de Charles Darwin.


05. Origem do Realismo:

→ O Realismo originou-se na França, a partir das pinturas de Coubert e dos Romances de Gustave Flaubert (“Madame Bovary”, 1857).


06. Principais características da prosa Realista:

-  caracteriza-se pela intenção de fazer predominar, na arte, o real sobre o imaginário;
-  por documentar o seu mundo contemporâneo;
-  por encarar a Arte como instrumento de difusão de novos ideais políticos e filosóficos;
-  pela defesa de idéias anti-românticas, anti-religiosas e antimonárquicas;
-  pela forma exigente e trabalhada;
- fidelidade ao objeto: a preocupação fundamental do escritor realista é apresentar a história, a personagem, a cena, a paisagem, a coisa enfim, como é na realidade, sem desfigurá-la.


07. Principal prosador brasileiro ligado ao Realismo:

→ Joaquim Maria MACHADO DE ASSIS
- Nasceu no Rio de Janeiro (Morro do Livramento) em 1839. Aí faleceu em 1908.
- De origem humilde, órfão muito cedo, gago, mulato, epilético. Tendo provado privações, conseguiu Machado, com muito esforço, chegar a funcionário público, depois de ter sido aprendiz de tipógrafo e redator.
- Tímido e reservado, autodidata apaixonado, conseguiu transformar-se no melhor prosador de nossas letras. Fundou, com Joaquim Nabuco e outros, a Academia Brasileira de Letras (1897).


08. Obras: (apenas os romances de Machado de Assis)*

→ 1ª fase: (Romântica) - “Ressurreição”, “A Mão e a Luva”, “Helena”, “Iaiá Garcia” (de 1872 a 1878);

→ 2ª fase: (Realista) = “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, “Quincas Borba”, “Dom Casmurro”, “Esaú e Jacó” e “Memorial de Aires” (de 1881 a 1908).

→ Foi ainda contista, teatrólogo e poeta.


(Machado de Assis - 30 anos)

01. Dados biográficos mais importantes:

- nascimento e morte: 1839 - 1908, no Rio de Janeiro.
- mestiço, de família pobre, sem freqüentar escolas.
- empregos: jornalismo e funcionário público.
- ascensão progressiva em círculos intelectuais.
- autodidata (quem se instrui por si próprio, sem auxílio de professores).
- casamento (feliz) com Carolina Augusta, representada por D.ªCarmo, personagem do livro “Memorial de Aires”.
- um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, aclamado como primeiro presidente e presidente perpétuo.

02. Obras:

→ a) Romances:

“Ressurreição” (1872), “A Mão e a Luva” (1874), “Helena” (1876), “Iaiá Garcia” (1878) - romances da 1ª fase (romântica).

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” (1881), “Quincas Borba” (1891), “Dom Casmurro” (1899), “Esaú e Jacó” (1904), “Memorial de Aires” (1908) - romances da 2ª fase (Realista).

→ b) Contos:

“Contos Fluminenses” (1870), “Histórias da Meia-Noite” (1873), “Papéis Avulsos” (1882), “Histórias sem data” (1884), “Várias Histórias’ (1896), “Páginas Recolhidas” (1899), “Relíquias da Casa Velha” (1906).

→ c) Poesia:

“Crisálidas” (1864), “Falenas” (1870), “Americanas” (1875), “Ocidentais” (1901) incluída em “Poesias Completas”.

→ d) Teatro:

“Hoje Avental, Amanhã Luva” (1860), “Queda que as Mulheres Têm para os Tolos” (1861), “Desencantados” (1861), “O Caminho da Porta” (1863), “O Protocolo” (1863), “Quase Ministro” (1864), “Os Deuses de Casaca” (1866), “Tu, só Tu, Puro Amor” (1880), “Não Consultes Médico” (1896), “Lição de Botânica” (1906).

Observação: As crônicas e os textos críticos de Machado de Assis não constam desta bibliografia, por terem sido reunidos em livros, quase todos, só depois da morte do autor.

03. Livro mais importante:

→ “Dom Casmurro” - enredo: Bentinho era um menino a quem foi destinada, por promessa da mãe - dona Glória - uma vida religiosa, mas que não consegui assumi-la, devido à paixão que sentia por Capitu, sua vizinha. Graças à interferência de José Dias, agregado da casa, Bentinho sai do seminário. O namoro de Bentinho e Capitu se prolonga; o tempo passa. Bentinho se forma em Direito, estreita sua amizade com Escobar, ex-colega do seminário, e se casa com Capitu, a qual tem uma amiga, Sancha, que se casa com Escobar. Então começa o conflito: Escobar morre num acidente. Julgando estranha a forma pela qual Capitu contempla o cadáver e lembrando-se da referência de José Gomes aos seus “olhos de ressaca”, “olhos de cigana, oblíquos e dissimulados”, Bentinho entrega-se ao sentimento do ciúme a ponto de planejar a morte da esposa e do filho - Ezequiel - que julga cada vez mais parecido com Escobar. O casal se separa, Capitu e Ezequiel morrem um ano depois e Bentinho, cada vez mais fechado em si mesmo, cada vez mais atormentado pelas dúvidas que nunca o abandonam, passa a ser chamado de “Casmurro”. Por isso, o nome do romance.







Nenhum comentário:

Postar um comentário