segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Por que se ama alguém...

Ou quando o amor acontece.




Se uma mulher estiver desprevenida e, por acaso, o homem também, aí o amor acontece.

Se mulher receber um convite para fazer algo que ela não queria fazer, e o destino faz com que ela convide um homem a sentar ao seu lado sem saber que o inesperado mudará o seu destino, aí o amor acontece.

Se a mulher estiver carente de amor, por desamores anteriores, e o homem não estiver plenamente satisfeito com as paixões de sua vida, e surgir, a ambos,  alguém especial, aí o amor acontece.

Se um beijo for dado ao acaso pode ser pela noite, pela bebida ou pela carência dos dois, e ser o beijo mais ardente de ambos, aí o amor acontece.

Se o amor, a companhia, a vontade de estar junto com aquela pessoa aumenta cada dia, cada mês cada ano e não se sabe quando vai terminar aquela vontade louca de sempre estarem juntos, aí o amor acontece.

Se brigam por qualquer bobagem, se fazem as pazes, sempre com amor intenso, e não podem ficar separados um do outro, aí o amor acontece.

Se gostam de dançar, de se protegerem contra a maldade do mundo, com ganas, com ardor sem medo do perigo, aí o amor acontece.

Se gostam de conversar sem se preocupar com o tempo que passa, sempre olhando olho no olho, com vontade que o tempo pare e o relógio congele o tempo, só para ficar falando, e se contemplando com paixão, aí o amor acontece.

Se, depois do amor, sempre se tem gás para começar tudo de novo, aí o amor acontece.

Se a distância, quanto maior, mais aumenta a vontade de estarem juntos, aí o amor acontece.

Se a pessoa pensa em cada detalhe do corpo do outro e com vontade de morder, pegar, amassar cada parte da pessoa amada, aí o amor acontece.

Se a pessoa, nas datas mais importante da vida, na ausência do ser amado, olha para uma estrela no céu e nela enxergar o outro, aí o amor acontece.

Se o cheiro do outro, o sorriso, a pele, o andar, o jeito lhe encanta, aí o amor acontece.

Se uma palavra, um gesto provoca no ser amado arrepios e fantasias sobre o que farão quando estiverem juntos, aí o amor acontece.

Se os enamorados contam as semanas, os dias, os minutos os segundos que faltam para se encontrarem novamente, aí o amor acontece.

Se uma música, um devaneio, uma imagem, um texto de um livro traz à mente a pessoa amada, aí o amor acontece.

Se dançando se encaixam como se fossem um só corpo, se embalam em qualquer ritmo, sem saber como e por que conseguem isso, aí o amor acontece.

Se tratar o ser amado com carinho, dando-lhe morango, espumante e leitinho na boca, aí, definitivamente, o amor acontece. 

(Autor desconhecido)


P.S. Meu amigo (Autor desconhecido), esse texto foi a definição mais verdadeira de como amar e ser amado; cada frase uma emoção, e, quando se ama dessa maneira, o amor e a saudade só aumentam, pois só alguém que viveu, ou vive, um amor assim, poderia escrever dessa forma.


Nenhum comentário:

Postar um comentário