quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Palavras que vêm do latim


Professor Sérgio Nogueira

As chamadas línguas neolatinas (português, espanhol, francês, italiano e outras) tiveram a mesma origem: o latim falado pelos romanos, cujo império se estendeu por grande parte da Europa.

Por isso, há vários casos em que uma palavra em português é muito parecida com sua tradução em outra língua neolatina.

É o caso, por exemplo, do verbo perdoar. Veio do latim perdonare, formado de per (para) + donare (dar). Ou seja, perdoar, na sua origem, significa “para dar”. E assim a palavra latina perdonare foi parar em outras línguas neolatinas com esse mesmo significado de “para dar”:
- no francês: pardonner;
- no espanhol: perdonar;
- no italiano, perdonare.

Curiosamente, no inglês, perdoar também significa “para dar”: forgive.

Veja alguns casos interessantes de palavras da língua portuguesa importadas do latim.

Enfermo

Veio do latim infirmu, palavra formada de in + firmu, ou seja, não firme.

Estelionato

Veio do latim stellionatu, estelionato, fraude, que veio de stellio, um tipo de camaleão que tem a pele com manchas que parecem estrelas. Como estrela em latim é stella, o camaleão foi chamado de stellio.

Stellio ganhou o sentido de trapaceiro, pela capacidade do animal de mudar a cor da pele para se confundir com o ambiente — uma forma de defesa contra seus inimigos.

Estilo

Veio do latim, stilu, um ponteiro de metal, osso ou outro material, utilizado para escrever em tábuas enceradas. Tinha uma extremidade pontiaguda, para escrever, e a outra ponta, larga e chata, servia para apagar o escrito. Ainda no latim, a palavra stilu passou a ter o mesmo sentido atual de estilo em português, ou seja, modo de se expressar verbalmente ou por escrito.

Imbecil

Veio do latim imbecille, fraco fisicamente, doente, incapaz de sustentar-se (depois, fraco moralmente).
Imbecille se formou de im-, sem + bacillu, diminutivo de baculu, cajado, bastão. Assim, imbecille significava sem bastão, querendo dizer “sem sustentação”.
Depois, no francês, imbécile ganhou o sentido de idiota, com que passou para outras línguas neolatinas.

Aproveitando a viagem: a palavra latina baculu (cajado, bastão) originou o português báculo (bastão, sustentação) e o francês baguette, daí baguete. O diminutivo bacillu deu em português bacilo, que é uma bactéria com a forma de um bastãozinho.

Incesto

Do latim incestu (impureza, adultério, incesto), um substantivo derivado do adjetivo também escrito incestu (impuro, manchado, incestuoso).

O adjetivo foi formado de in-, não + castu, casto, puro.

Ônibus

Do latim omnibus, que significava “para todos”.

Prematuro

Do latim praematuro, formado de prae, antes + maturu, maduro.

Seu sinônimo tem história bem parecida: precoce veio do latim praecoce, formado de prae, antes + coquere, cozinhar, amadurecer.

Sardinha

Do latim sardina, que significa literalmente peixe da Sardenha, região da Itália onde o que não falta é sardinha.

Há casos em que a mesma palavra latina originou mais de uma palavra em português:
a) lucru - lucro e logro (qualquer semelhança de sentido não é mera coincidência);
b) arena - arena e areia;
c) vice - vez e vice;
d) superciliu - supercílio e sobrancelha (por isso não se deve dizer “sombrancelha”, mesmo que a pessoa tenha sobrancelhas tão espessas que façam sombra nos olhos);
e) solitariu - solitário e solteiro.






Nenhum comentário:

Postar um comentário