sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Redes sociais deram voz a legião de imbecis

Umberto Eco


Crítico do papel das novas tecnologias no processo de disseminação de informação, o escritor e filósofo italiano Umberto Eco afirmou que as redes sociais dão o direito à palavra a uma "legião de imbecis" que antes falavam apenas "em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade".

A declaração foi dada nesta quarta-feira (10.06.2015), durante o evento em que ele recebeu o título de doutor honoris causa em comunicação e cultura na Universidade de Turim, norte da Itália. "Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel", disse o intelectual.

Segundo Eco, a TV já havia colocado o "idiota da aldeia" em um patamar no qual ele se sentia superior. "O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade", acrescentou.

O escritor ainda aconselhou os jornais a filtrarem com uma "equipe de especialistas" as informações da web, porque ninguém é capaz de saber se um site é "confiável ou não".

Escritor e filólogo Umberto Eco criticou o papel das novas tecnologias no processo de disseminação de informação; "Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel", disse o intelectual; segundo Eco, a TV já havia colocado o "idiota da aldeia" em um patamar no qual ele se sentia superior; "O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade", completou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário