sábado, 6 de fevereiro de 2016

É possível trocar de nome?



Sim, mas só uma vez. “Ninguém pode mudar de nome quantas vezes quiser por uma questão de segurança jurídica. O nome é uma maneira de identificar alguém por um crime, por exemplo”, diz a advogada Tatiana Lima. Na verdade, o nome é imutável. O que existem são exceções. Em quase todos os casos é preciso contratar um advogado e abrir um processo. O julgamento deve ser acompanhado por um promotor e pode levar até seis meses. Nesse caso, o procedimento é simples: basta levar o documento do divórcio com sentença do juiz e a certidão de casamento original ao cartório onde foi realizado a união e pedir uma retificação do registro.

Escolha o seu

Quem tem direito ao novo batismo

Celebridades

Uma pessoa muito conhecida pelo apelido tem o direito de acrescentar o nome na certidão, ou até trocar o prenome. Maria da Graça (Xuxa) Meneghel, por exemplo, poderia se chamar Xuca Meneghel.

Ameaçadas

Se ficar provado que a pessoa corre risco de vida, ela pode trocar o nome completamente, por segurança. Esse caso é mais comum entre testemunhas de crimes.

Homônimos

Pessoas de nome comuns têm direito de acrescentar outro nome, se isso causar problemas pessoais ou profissionais. João da Silva poderá se transformar, por exemplo, em João Sérgio da Silva.

Pseudoestrangeiros

Ninguém precisa ser Maicon, Uoxinton ou Cheron; a pessoa pode pedir na justiça o direito de escrever o nome em outra língua. Maicon vira Michael, Uoxinton vira Washington e Cheron vira Sharon.

Motivos de chacota

Nomes que lembrem palavrões ou causem constrangimento podem ser modificados. Graças uma campanha pelo uso de camisinha, muito Bráulio ganhou o direito de mudar de nome.


(Por Beatriz Nogueira para a revista Super Interesante
 de setembro de 2004)



P.S. Luis Ignácio Lula da Silva, Lula é o seu apelido que foi acrescentado ao seu nome.

...No Blog de

Nilo (de Santa Maria) Moraes, ficaria assim se pudesse trocar o meu nome...


Nenhum comentário:

Postar um comentário