sexta-feira, 22 de abril de 2016

Eu Tive Fome


Pe. Guilherme


Eu tive fome, e tu deste minha comida ao teu gado de exportação.

Eu tive fome, e tu continuaste te banqueteando como o ricaço da minha parábola.

Eu tive fome, e tu plantaste, no lugar do meu feijão, imensidades de cana-de-açúcar.

Eu tive fome, e tu fabricaste da cana-de-açúcar combustível para teu automóvel.

Eu tive fome, e tu mataste com o esgoto da tua fábrica os peixes de nosso rio que diminuíram tantas vezes minha fome.

Eu tive fome, e tu destruíste o mato onde eu colhia tanta coisa para comer.

Eu tive fome, é tu destruíste no óleo 80.000 pintinhos para manter o preço.

Eu tive fome, e tu despejaste no rio milhares de litros de leite, leite salvador para milhares de vida infantis.

Eu tive fome, e tu jogaste no lixo toneladas de comida preciosa, sobrando nos ambientes de luxo.

Eu tive fome, e tu me expulsaste da minha roça, com teu Projeto Pró-Álcool, para uma favela da cidade.

Eu tive fome, e tu vendeste o estoque de nossa comida, por milhões de dólares, na exportação.

Eu tive fome, e tu me encheste com armamentos destruidores de civilização.

Eu tive fome, junto com milhares de criancinhas, e ti deixaste morrer mil delas por dia só na tua terra, que eu tanto abençoei com a riqueza natural.

Eu tive fome, e tu não me deste de comer.



Nenhum comentário:

Postar um comentário