sábado, 16 de abril de 2016

O bombeiro e o papagaio



Naquela pequena cidade do interior, havia um velhinho que tinha um papagaio. Por mais que ele tentasse ensinar algumas palavras ao louro, este não aprendia nada. O bom ancião passava horas repetindo; “dá o pé, louro!’, e nada. Após muitas tentativas, o papagaio, não sei por qual razão, aprendeu a dizer: “quem é?”.

Também nesta cidade, havia um grupo voluntário que fazia o trabalho de bombeiro. Eram os desocupados e aposentados da cidade, que apagavam pequenos incêndios, retiravam gatos de cima das árvores e ajudavam a recolher pessoas nos dias de enchentes.

Um dia, o velhinho teve que passar o dia inteiro fora de casa, deixando o papagaio solto pela casa. Mas, por esquecimento, deixou uma torneira aberta na pia do banheiro.

Vizinhos, vendo que um filete d´água escorria pela porta, chamaram o grupo amador de bombeiros da cidade, que, por estarem atendendo outra ocorrência, mandaram o mais lerdo e obeso de seus integrantes para ver o que estava ocorrendo na casa do velhinho.

Chegando lá, o bombeiro bateu na porta, sem saber quem estava dentro da casa. Percebendo isso, o papagaio disse as duas únicas palavras que repetia sempre:
– Quem é?
O voluntário:
– É o bombeiro!
E a coisa começou assim e não acabava nunca:
– Quem é?
– É o bombeiro!
– Quem é?
– É o bombeiro!
– Quem é?
– É o bombeiro!
– Quem é?
– É o bombeiro!

E esse diálogo maluco durou horas e horas.

No fim do dia, o velhinho retorna à sua residência, e vê, assustado, um homem gordo, desmaiado, ofegante, suado, língua de fora, na porta de sua casa.

Ao abrir a porta, pergunta ao papagaio:

– Quem é?

E o papagaio, depois de horas e horas de lição, responde:

– É o bombeiro!



Um comentário:

  1. Kkkkk, muito boa também lendo, mas eu tenho um amigo de pescaria que conta essa piada, ele interpreta, na verdade não conheço ninguém que conte piada como ele.

    ResponderExcluir