sábado, 30 de abril de 2016

O Parnasianismo


01.  Marco do início do período:
→  1880 - com a publicação de “Sonetos e Rimas”, de Luís Guimarães Júnior (obra de valor meramente histórico).
02.  Origem e estilo:
→  O Parnasianismo originou-se na França, sendo difundido através de obras de Théophille Gauthier, Lecomte de Lisle e José Heredia. Manifestando-se exclusivamente na poesia, o estilo parnasiano foi contemporâneo das obras em prosa do Realismo e do Naturalismo.
03.  Aspectos de diferenciação entre a poesia parnasiana e tradição romântica:
A poesia parnasiana anunciava-se como antirromântica na medida em que pregava a ausência do subjetivismo e abandono das formas românticas populares e musicais, tão de agrado dos românticos.
04.  Principais características da poesia parnasiana:
→ isenção da manifestação sentimentais;

→ preferência pela descrição minuciosa;

→ evocação freqüente de cenas e personagens históricos e mitológicos;

→ preocupação exaustiva com a forma rebuscada;

→ culto de uma parte desligada de qualquer compromisso histórico, ou seja, a “arte pela arte”;

→ objetividade: o poeta apresenta o fato, a personagem, a coisa como são e acontecem na realidade pela sua (do poeta) maneira de ver, sentir e pensar;

→ impassibilidade: o poeta não pode participar, de qualquer forma, daquilo que está apresentando (isenção de ânimo);

→ perfeição de forma: a poesia, para o poeta parnasiano, deve ser perfeita, equilibrada, sem excessos.
05.  Comentários sobre algumas características do parnasianismo:
→ Tentando combater a herança romântica de que estava impregnada a poesia da época, a poesia parnasiana propunha um atitude fria e impassível perante o mundo, “enxugando” o poema de qualquer sentimentalismo ou subjetivismo. Em conseqüência, os poemas ortodoxamente parnasianos são quase impessoais, para o que muito contribui a linguagem rebuscada e elitista, bem como os temas historicamente distanciados: cenas e personagens de civilizações antigas e do mundo clássico.
06.  Explicação da atribuição do nome “Parnasiano” a este estilo literário:
→ Segundo a mitologia grega, “Parnaso” era o nome de um monte habitado pelas musas. Assim, denominaram-se “parnasianos”, os poetas que aderiram a esse estilo. No Brasil, a denominação chegou através da França: “Le Parnesse Contemporain” era o título de uma publicação para a qual colaboravam os parnasianos franceses (1866).
07.  Principais representantes, no Brasil, da poesia parnasiana:
→ Olavo Bilac, Raimundo Correia, Alberto de Oliveira e Vicente de Carvalho. (Os três primeiros constituíram a chamada “Trindade Suprema”, ou seja, foram eles os que mais de perto chegaram - durante parte de suas obras - dos modelos parnasianos franceses).



Trindade Parnasiana:

Alberto de Oliveira - Raimundo Correia e Olavo Bilac

POETAS PARNASIANOS


01NOME:

 OLAVO Brás Martins dos Guimarães BILAC (Olavo Bilac).

 nascimento:  1865 - Rio de Janeiro

 morte:           1918 - Rio de Janeiro

 Abandonou os cursos de Medicina e Direito para dedicar-se ao jornalismo.

 Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras.

 Promoveu a campanha do Serviço Militar Obrigatório (1915)

 Autor do “Hino à Bandeira Nacional” (Salve lindo pendão da esperança)

02.  EPÍTETO:

→ “Príncipe dos Poetas Brasileiros” (eleito em 1907, pela revista Fon-Fon).

03. OBRAS:

→ “Poesias” (1888, contendo: Panóplias - Via Láctea - Sarças de Fogo - Alma Inquieta - As Viagens - O Caçador de Esmeraldas).

→ “Tarde” (1919, posteriormente incluído no volume “Poesias”)

04. POEMAS PRINCIPAIS:

→ “Pátria”, “Língua Portuguesa”, “Satânica”, “Profissão de Fé”, sonetos de Via Láctea (XIII), letra do Hino à Bandeira Nacional, “Nel Mezzo del Camin...”, “In Extremis”.


05.  CARACTERÍSTICAS:
 Obra de fácil comunicação com o público.

 Parnasianismo reduzido, salvo em certos poemas históricos e mitológicos, com perfeição formal.

→ Temas: 

→ Platonismo amoroso; 

→ sensualismo,;

→ exaltação patriótica; 

→ reflexão (pessimista sobre vida e a natureza humana.


01.  NOME:

 RAIMUNDO de São Luís da Mota Azevedo CORREIA (Raimundo Correia).

 Nascimento:    1859, a bordo do navio brasileiro ‘São Luís’, em águas do Maranhão.

 Morte:             1911, em Paris.

02.  EPÍTETO:

 “O Poeta das Pombas”

03.  OBRAS:

 “Primeiros Sonhos” (1879, poemas de características ainda românticas)

 “Sinfonias” (1883)

 “Versos e Versões” (1887)

 “Aleluias” (1891)

 “Poesias” (1898)

04.  PRINCIPAIS POEMAS:

 “As Pombas”

 “Mal Secreto”

 “A Cavalgada”

 “Plenilúnio”

05.  CARACTERÍSTICAS:

 Adesão ao parnasianismo a partir de “Sinfonias”;

 traços parnasianos de sua poesia: temas históricos, temas mitológicos, poemas descritivos;

 linguagem clássica e concisa;

 poemas reflexivos.



01.  NOME:

 Antônio Mariano ALBERTO DE OLIVEIRA (Alberto de Oliveira).

 Nascimento:    1859 - Rio de Janeiro

 Morte:             1937 - Niterói

 Não participou de nenhum movimento político, social ou literário.

 Foi eleito “Príncipe dos Poetas Brasileiros”, após a morte de Bilac.
02.  OBRAS:
 “Canções Românticas” (1878) poemas românticos, “Meridionais” (1884), “Sonetos e Rimas” (1885), “Versos e Rimas” (1895), “Poesias Completas” (quatro séries: 1900, 1906, 1913, 1927, contendo a primeira série toda a produção anterior, com correções), “Ramo de Árvore” (1922).
03.  PRINCIPAIS POEMAS:

 “Vaso Grego”

 “Vaso Chinês”

 “Horas Mortas”
04.  CARACTERÍSTICAS:

 Estreia com obra romântica: “Canções Românticas” (1878)

 Adesão ao Parnasianismo a partir de “Meridionais” (1884)

→ O mais parnasiano dentre os contemporâneos (perfeição formal).

01.  NOME:

 VICENTE Augusto de CARVALHO (Vicente de Carvalho)

 Nascimento:    1866 - Santos

 Morte:             1924 - São Paulo

 Conhecido como “Poeta do Mar”, pela sua paixão pelo oceano,

→ é considerado o melhor parnasiano depois da tríade (Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto Oliveira);

 é popular por desenvolver temas do agrado do leitor comum e por expor sempre seus sentimentos com simplicidade e clareza.
02.  EPÍTETO:

 “Poeta do Mar”
03OBRAS:

 “Ardentias” (1885), “Relicário” (1888), “Rosa, Rosa de Amor” (1902), “Poemas e Canções” (1908), “Verso e Prosa” (1909), “Versos da Mocidade” (1912)
04.  PRINCIPAIS POEMAS:

 “Palavras ao Mar”

 “Velho Tema”

 “Olhos Verdes”

 “Pequenino Morto”
05.  CARACTERÍSTICAS:

 Parnasiano reduzido ao extremo domínio da linguagem;

 poemas caracterizados pela musicalidade e cadência;

 Temas:

  natureza (cenas marinhas);

  lirismo amoroso;

   reflexão sobre a natureza do homem.





Nenhum comentário:

Postar um comentário