sexta-feira, 22 de abril de 2016

Paródia de poema VI

Quadrilha

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade

Parodiando Drummond

João, o banqueiro,
Roubava Pedro, o fiscal de rendas.
Que roubava Raimundo, o comerciante,
Que roubava Antônio, o industrial,
Que roubava Carlos, o diretor,
Que roubava Severino, o operário,
Que nunca havia roubado ninguém.

João foi para o Paraguai e Pedro para as Bahamas,
Raimundo morreu bêbado,
Antônio pediu concordata,
Carlos suicidou-se e Severino, faminto,
Roubou a bolsa de Sônia que nem tinha entrado na história.

                                            Newton


João colava de Teresa que colava de Raimundo 
             que colava de Maria que colava de Joaquim que colava de Lili
             que não colava de ninguém.

             João virou mendigo, Teresa indigente,
             Raimundo morreu de burrice,
             Maria não passou no vestibular,
             Joaquim virou jumento e Lili
             passou no concurso público juntamente com seu amigo Carlos
             que não tinha entrado na história.

Autor da paródia: profirmeza

Quadrilha da sujeira


João joga um palitinho de sorvete na rua de Tereza,
que joga uma latinha de refrigerante na rua de Raimundo,
que joga um saquinho de plástico na rua de Joaquim,
que joga uma garrafinha velha na rua de Lili.

Lili joga um pedacinho de isopor na rua de João,
que joga uma embalagenzinha de não sei o quê na rua de Teresa,
que joga um lencinho de papel na rua de Raimundo,
que joga uma tampinha de refrigerante na rua de Joaquim,
que joga um papelzinho de bala na rua de J. Pinto Fernandes
que ainda nem tinha entrado na história.

        Poema de fim de carnaval

João pegava Teresa,
que pegava Raimundo,
que pegava Maria,
que pegava Joaquim,
que pegava Lili,
que contraiu DST.

Eduardo Souza


Flávio odiava Castelo,
que odiava Edivaldo,
que odiava Eliziane,
que odiava Roberto,
que odiava Reinaldo,
que não amava o povo.

Flávio abandonou a toga,
Castelo não se elegeu,
Edivaldo é um desastre,
Eliziane se perdeu,
Roberto sacrificou-se
e Reinaldo complicou-se
na Operação Navalha
que não tinha entrado na história.

Caio Hostilio

Nenhum comentário:

Postar um comentário