sábado, 2 de julho de 2016

A marquesa saiu às cinco horas



Paul Valéry, com seu horror à vulgaridade literária, dizia-se incapaz de escrever um romance por não possuir a coragem de redigir uma frase como esta: A marquesa saiu às cinco horas.

Pois se dá que neste momento, em crise de frivolidade, fico pensando nas inúmeras maneiras de descrever um episódio tão banal. Tais como:

A marquesa talvez tenha saído às oito horas, talvez um pouco antes, talvez um pouco depois, talvez nem tenha saído. Eu pelo menos nem a vi. (Tipo mineiro)

Ninguém poderia jurar que a marquesa saiu às cinco horas. (Tipo agnóstico)

Se a marquesa saiu às cinco horas, às cinco horas, logicamente, a marquesa não devia estar em casa. (Tipo policial carioca)

Teria realmente a marquesa saído às cinco horas? (Tipo Cético)

A marquesa, ô lá lá, saiu às cinco horas! (Tipo pichador)

A marquequesa sassaiu às cicinco horas (Tipo Nervoso)

Madame, la Marquise est sortie à cinq heures. (Tipo francófilo)

A maphyeza saiu cay ac cihko gopac. (Tipo Criptografico primário)

Se a marquesa saiu às cinco horas devia estar ligada a movimentos subversivos. (DOPS)

A MARQUESA SAIU ÀS CINCO HORAS! (Manchete de vespertino)

A Marquesa deu a saída às cinco horas e cinco minutos. (Tipo Repórter esportivo)

Por que a marquesa saiu às cinco horas? (Marquês)

Se marquesa saiu às cinco horas, ninguém tem nada com isso. (Outro tipo de marquês)

A marquesa saiu at five o’ clock (Colunista social)

A marquesa saiu , sem a mudança, às cinco horas. (Dono de transporte de móveis)

A marquesa saiu às cinco horas, mas eu não fui. (Mitômano)

A marquesa por cima saiu por baixo às cinco horas por cima. (Débil mental)

A-pa marpaquepesapa sapaiupiu aspas cinpincopo hoporaspas (Pueril)

A marquesa saiu às cinco horas. Uma pouca vergonha. (Ressentido)

A Msa. saiu às 5 (Sintético)

Venho, pela presente, declarar, a quem interessar possa, que a marquesa saiu às cinco horas. (Comercial)

A marquesa saiu às cinco horas na tarde azul rumando ao Sul no barco em flor do meu amor. (Bossa nova)

A marquesa saiu às cincos horas gozando o favor do preceito constitucional que lhe assegura o direito de ir e vir. (Bacharelesco)

A marquesa tá um pavor, minha filha, saiu às cinco horas! (Uma Amiga da Marquesa)

A marquesa saiu às cinco horas como um raio de sol belo e terrível. (Augusto Frederico Schmidt)

……………………………………………………. (Henry Miller)*

A marquesa saiu às cinco horas lançando pianos na tarde. (Murilo Mendes)

A marquesa saiu às cinco horas, mas posso garantir que aqui na casa do velho Braga ela não esteve. (Rubem Braga)

Quando soube que a marquesa tinha saído às cinco horas, a macróbia de Boca do Mato me telefonou para dizer: “Essa bruaca já estava sobre a borocochô no baile da Ilha Fiscal”. (Stanislaw Ponte Preta)

A Marquesa! Saiu! Às cinco horas! Ba-ta-ta! (Nelson Rodrigues)

Eu jamais escreveria: A marquesa saiu às cinco da tarde (Paul Valéry)

A marquesinha, que gracinha, saiu às cinco horas (Vinicinho de Moraesinho)

Salve a marquesa/ real turquesa do Brasil/ do Brasil do céu de anil/que saiu às cinco horas /de reco-reco e tamborim/ ai de miiiiiiim (Escola de Samba)

Paulo Mendes Campos, O colunista do morro, 
Ed. Do Autor, 1965, pág. 59.

*Texto, provavelmente, censurado.

...E as adaptações...

A marquesa, brasileiros e brasileiras, saiu às cinco horas! (Oratório)

A marquesa saiu ás cinco horas, cinco minutos e exatos cinco segundos. (Cronométrico)

A marquesa saiu às cinco horas. Da manhã? (Dubitativo)

A Excelentíssima Senhora Marquesa deixou os seus aposentos às cinco horas da tarde. (Monárquico)

Aposto que a marquesa saiu às cinco horas. (Jogador)

A marquesa saiu às dezessete horas. (Esclarecedor)

Nunca que a marquesa saiu às cinco horas. (Do contra)

Ó marquesa, por que saíste às cinco horas? (Angustiado)

Poxa! A marquesa saiu às cinco horas! (Carioca)

A marquesa saiu às cinco horas, mas eu juro que não tenho culpa! (Neurótico)

A marquesa, morta há dois séculos, saiu às cinco horaaaaaaaaaas. (Fantasmagórico)

A marquesa saiu às cinco horas e nunca mais voltou (Fatalista)

A marquesa saiu às cinco horas, mas o que interessa saber é quando ela voltou. (desconfiado)

De repente, senti, no âmago de meu ser conturbado, uma voz qualquer a sussurra-me, como uma música vaga que chegasse misteriosamente na tarde, que a marquesa tinha saído às cinco horas. (Subjetivo)

A marquesa saiu aí pelas cinco horas. (Popular)

Salve a marquesa, real turquesa do Brasil do céu de anil que saiu às cinco horas de reco-reco e tamborim, ai de mim. (Escola e Samba).

A marquesa saiu às cinco horas quase nua... (Libidinoso)

Um dia – lá se vão muitos anos – a marquesa saiu às cinco horas. (Saudosista)

Nunca, na história deste país, tivemos uma marquesa que tenha saído á cinco horas! (Lula)

Marquesa saindo às cinco horas da manhã de um motel com seu criado de confiança, aproveitando a viagem do marquês? Cala te boca! (Vizinha fofoqueira)

Marquesa, com o boton do PT, saiu às cinco horas num carro oficial gastando dinheiro público. (Veja)

Que nojo! Uma marquesa saindo às cinco horas num vestidinho chinfrim. Eu hein? (Bicha)

Uma senhora, dizendo-se marquesa, foi apanhada às cinco horas comprando pó na favela da Rocinha. (O Dia)

Uma senhora, com vestido de marquesa, às cinco horas, foi roubada no calçadão de Copacabana por pivetes do Morro do Macaco. (Extra)

Uma mulher com roupa do século passado, falando uma linguagem aristocrática, se passando por marquesa, às cinco horas de ontem, foi presa no Centro do Rio e encaminhada ao manicômio municipal para uma sessão eletrochoque. (O Globo)

Vejam, amigos, que nos tempos atuais de igualdade social, até uma marquesa sai do seu castelo às cinco horas. (Jornal do PC do B)

A marquesa, falida por mau uso da sua herança, saiu às cinco horas para apanhar o seu cheque do Bolsa-Família. (Propaganda do Governo)

Uma marquesa, indignada, falou que às cinco horas já não tinha mais ficha para ser atendida pelo SUS. (Jornal nacional)




Nenhum comentário:

Postar um comentário