terça-feira, 12 de julho de 2016

Causos caipiras



O bom não é malvado

O viajante chegou numa cidade e perguntou o que tinha pra se fazer ali, pra móde distrair um pouquinho. Logo lhe disseram que havia lá no arrabalde da cidade uma rinha de galo. Lugar onde colocam os coitadinhos para brigar.

Era a vez de um galo branco muito bonito, de crista vermelha, e de um galo preto, também muito bonito. Galos com esporas afiadas com lima. Coisa de gente ruim mesmo, pois onde já se viu afiar as esporas pra um deles sair dali prontinho pra ir pra panela do bar mais próximo?

Mas vamos ao causo.

Viajante (para um apostador):

- Moço? Eu também queria fazer uma fezinha, só que não conheço a qualidade dos galos que vão brigar. Qual é o bom, hem?

Apostador (respondendo sem olhar para o viajante):

- O bom é o galo branco.

O viajante, sem pestanejar, lascou uns 500 mil réis no galo branco. Começou a briga e foi aquela loucura. Esporada pra cá, pra lá, que era um deus-nos-acuda. Voava sangue. E o pior é que voava sangue do galo branco, que não deu pro cheiro. O galo preto tinha levado a melhor. E quem tinha mesmo levado a pior era o nosso viajante, que perdeu aí uns bons trocados.

Viajante (para o apostador):

- Ô moço, o senhor não disse que o bom era o galo branco? Eu acabo de perder 500 por sua causa.

Apostador (na maior cara-de-pau de interiorano):

- O bom era o branco, mesmo. Porque o preto... o preto é o marvado, sô!


De onde você é?

Na Revolução de 1932, um caipira paulista que morava na divisa com o Paraná viu um bando de soldados chegar. Quando lhe perguntaram se ele era de São Paulo ou do Paraná, ele, imaginando que eram de fora, respondeu:

- Sou do Paraná, uai!

- Ah, é do Paraná? Nós somos paulistas. Desce o porrete nele!

Quinze dias depois, outro bando de soldados diferentes chegou e fizeram a mesma pergunta.

- Eu sou de Sum Paulo – responde o caipira.

- Ah, é paulista! Pois nós somos gaúchos! Desce o porrete nele!

Quinze dias depois, ainda moído de pancadas, o caipira viu chegar outro bando de soldados.

- Ei capiau, você é de São Paulo ou do Rio Grande do Sul?

E o caipira, ressabiado:

- Ah, eu sou de ocêis, uai!…


Caipira comprando passagem

O caipira vai a uma estação ferroviária para comprar um bilhete.

- Quero uma passagem para o Esbui – solicita ao atendente.

- Não entendi; o senhor pode repetir?

- Quero uma passagem para o Esbui!

- Sinto muito, senhor, não temos passagem para o Esbui.

Aborrecido, o caipira se afasta do guichê, se aproxima do amigo que o estava aguardando e lamenta:

- Olha, Esbui, o homem falou que prá você não tem passagem não!


Caipira no dentista

Um caipira estava sentado na cadeira do dentista, com muita dor (de dente, é claro). 

Dentista:

- O senhor quer extrair o dente?

Caipira (gemendo):

- Não, sinhô. Eu quero é rancá, mêmo.

Dentista:

- Então vou lhe aplicar uma injeçãozinha, o senhor vai dormir por uns cinco minutinhos e, nesse tempo, eu lhe arranco o dente. Pois está muito inflamado e, com anestesia local, o senhor não iria aguentar. Tá bom?

O caipira ouve com olhar atento. Dentista (continua falando):

- E para arrancar o seu dente eu vou cobrar apenas 10 mil réis.

O caipira então tira do bolso da calça um maço de notas sujas e começa a desfilá-las com as pontas dos dedos molhados de saliva.

Dentista (interrompendo o gesto do caipira):

- Não… não… senhor. Não precisa pagar agora, não, meu amigo. Eu não cobro adiantado.

Caipira (olhando para o dentista):

- Quem foi que falô que eu vou pagar adiantado? Tô só contando. Vou lá sabê se quando eu acordar desse sono o meu dinheiro ainda vai estar aqui!


Trem caipira

Uma mulher estava esperando um trem na estação ferroviária de Varginha, quando sentiu uma vontade de ir urgentemente ao banheiro.

Foi... Quando volto, o trem já tinha partido. Ela começo a chorar.

Nesse momento, chegou um mineirim, compadeceu-se dela e perguntou:

- Purcaus diquê qui a sinhora tá chorano?

- É qui eu fui uriná i u treim partiu...

- Uai, dona! Por caus dissu num percisa chorá não... tenho certeza bissoluta qui a sinhora já nasceu com essi treim partido...




Nenhum comentário:

Postar um comentário