quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Melhores frases de Amando Nogueira

(1927-2010)


“Copiar o bom é melhor que inventar o ruim.”

“Gosto de política, mas prefiro esporte e, entre todos os esportes, futebol, o mais vibrante universo de paz que o homem é capaz de iluminar com uma bola, seu brinquedo fascinante.”

“Bola é magia, bola é movimento. Brinquedo mágico que se submete suavemente à vontade do homem.”

“Por isso, respeitemos, no árbitro, ao menos, o sofrimento de estar ele no meio da brincadeira sem poder brincar.”

“Brincar com a bola é descobrir a harmonia e o equilíbrio do universo.”

“A Terra é redonda (e gira em torno de Pelé). Deus é esférico. A existência de Deus foi confirmada pelas tabelinhas de Pelé e Tostão.”

“O futebol não aprimora os caracteres do homem, mas sim o revela.”

“Futebol é uma religião pagã, em que as pessoas se encontram para adorar a bola.”

“Para entender a alma do brasileiro, é preciso surpreendê-lo no instante de um gol.”

“Nosso povo não canta o hino no dia 7 de setembro, mas sim quando a Seleção joga. É nesse momento que sua manifestação cívica é mais ardente.”

“Amar um clube é muito mais que amar uma mulher. Ao longo da vida, troquei de namoradas, sei lá, mil vezes. Jamais trocaria o Botafogo, nem por outro clube nem por nada neste mundo.”

“Um dia, consumido de saudades botafoguenses, escrevi um breve poema sobre Nilton Santos:”

Tu em campo parecias tantos
E, no entanto, que encanto –
Eras um só: Nilton Santos!

“Nilton Santos não era um jogador de futebol, era uma exclamação.”

“Minha memória é um feixe de deslumbramento. Fui mal acostumado pela contemplação da utopia.”

“Vi Pelé, tão perfeito que, se não tivesse nascido gente, teria nascido bola.”

“Vi garrincha, para quem a superfície de um lenço era um enorme latifúndio.”

“Driblar com as pernas tortas, e driblar como ninguém, eis o mistério de Garrincha que eu não ouso explicar.”

“E vi Didi, e chute oblíquo e dissimulado como o olhar de Capitu.”

“Os cartolas pecam por ação, omissão ou comissão.”

“Gol de letra é injúria; gol contra é incesto; gol de bico é estupro.”

“A bola é uma flor que nasce nos pés de Zico, com cheiro de gol.”

“Pelé é tão perfeito que se não tivesse nascido gente, teria nascido bola.”

“Nos jornais e na TV, passei a vida procurando palavras, não necessariamente a mais bela, mas a exata.”

“A palavra é como o ser humano: nasce, cresce e morre. Mas tem a vantagem de renascer. Sofro tanto no processo da escrita que hoje acho que muito melhor que escrever é ter escrito.”

“Não sei o que vira depois, mas tenho uma desconfiança: quem morre muda, e quem muda melhora.”

“Tenho notado que os meus amigos que morreram melhoraram com a morte. Eu não a desejo, mas também não vejo na morte o fim do mundo. É só uma grande mudança. E pode ser o começo de outro mundo.”


Três paixões de Armando Nogueira: o microfone, Pelé e a bola.

 * Xapuri, 14 de janeiro de 1927.
+ Rio de Janeiro, 29 de março de 2010.

Com problemas de saúde decorrentes de um câncer descoberto em 2007, Armando Nogueira faleceu em 29 de março de 2010, aos 83 anos, em seu apartamento, no Rio de Janeiro. Além dos 10 livros, crônicas e frases magistrais, Armando deixa um legado ímpar para o jornalismo e um enorme vazio na crônica esportiva. Cobriu todas as Copas do Mundo, desde 1954 e os jogos olímpicos, desde 1980. Seu estilo vai deixar saudades e o futebol perde um grande analista. Velado no salão nobre do Maracanã, seu “teatro” predileto, foi homenageado em 2008 tendo a sala de imprensa do estádio, batizada com seu nome.

Nenhum comentário:

Postar um comentário