quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Por que sou traficante?



“Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira. O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos. Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos.”

(Martin Luther King)


Toda a população brasileira está ficando cada vez mais à mercê do poder dos traficantes que, mesmo presos em presídios de segurança máxima, conseguem manter sob custódia de suas lideranças milhares de zumbis que fazem tudo o que eles mandam através de mensagens em celulares que não sabemos como eles os têm seu poder.

E por que alguém se torna traficante? Esta pergunta eu gostaria de fazer a um líder de gangue ou a um seu subalterno, mas, creio eu, já sei quais seriam as respostas que ele me daria:

→ Sou traficante, pois sei que os filhos da classe média brasileira consomem cada vez mais drogas de todas as espécies, e isso aumenta as nossas vendas.

→ Sou traficante, pois sei que artistas que aparecem na TV, procuram-me quase que todos os dias. Depois, com a maior cara-de-pau, fazem campanhas contra o uso do produto que eu vendo para eles.

→ Sou traficante, pois pessoas de todos os matizes intelectuais, principalmente o pessoal de criação, como alguns publicitários, usam drogas para abrir seus horizontes imaginativos.

→ Sou traficante, pois a juventude compra o produto que eu vendo cada vez mais. O lucro da venda de tóxicos produz milhões, o que dá para pagar um verdadeiro exército de marginais, que, como eu, nunca fez nada de útil na vida, e ganha muito vendendo ilusões.

→ Sou traficante, pois pelas fronteiras do Brasil é muito fácil entrar qualquer tipo de droga, de todas as espécies, que os consumidores gostam de usar. Entram, no Brasil, toneladas de maconha e cocaína, que são adulteradas aumentando muito o seu peso e o nosso lucro.

→ Sou traficante até por ódio de ver cidadãos do bem fazendo caminhadas contra a violência, em qualquer cidade do Brasil, com faixas como: “Sou da paz”, “Menos violência em nossa cidade”, “Todos contra o tráfico” e, muitas vezes, não notam o comportamento de seus filhos, que compram em todos os fins de semanas quilos e mais quilos de drogas, aumentando cada vez mais o poder e o lucro, que nós, traficantes, usufruímos.

→ Sou traficante porque somos um poder que usa armas mais potentes que a força policial de qualquer cidade brasileira. Pela mesma fronteira desprotegida onde entram toneladas de produtos ilegais, entra, com a maior facilidade, um arsenal de armas de todos os calibres para dar força ao nosso poder em vilas e comunidades do Brasil.

→ Sou traficante, pois vendo qualquer produto a uma mocidade bonita, sarada, para que possa ser mais “feliz” em festas rave, que usa ecstasy para dançar, alegre, uma noite inteira. Ela, a mocidade, não se importa em manter contato comigo, o traficante, até somos amigos. Os seus pais é que me odeiam; seu filho, não.

→ Sou traficante porque pertenço a um poder mais ético e, às vezes, até cruel em relação ao nosso “Código de Honra”. Em nosso meio marginal, julgamos, condenamos e executamos qualquer inimigo que nos ofereça qualquer tipo de perigo. Dos inimigos, isto é, de outra quadrilha de traficantes, tomamos seus pontos de tráfico na marra. Matamos da forma mais sádica, e colocamos o corpo em lugares públicos para estarrecer a classe média inocente.

→ Sou traficante, pois em nosso meio não há SPC; qualquer babaca compra o nosso produto e damos crédito a qualquer viciado. Nós fornecemos a droga, nós os viciamos, eles pagam quase sempre em dia. Não nos interessa como eles, os viciados, conseguem dinheiro, pois se não pagarem, cobramos a dívida com a sua morte violenta.

→ Sou traficante, pois somos milhares de facções que agem onde o Poder Público nos abandonou. Sou um filho sem pai que nasceu sem planejamento familiar, morando numa comunidade pobre, sob domínio de traficantes, onde a única forma de ganhar algum dinheiro era através do trabalho para o tráfico de drogas, produto que a cidade lá embaixo adora e compra aos quilos, diariamente.

→ Sou traficante, pois sei que o tráfico está se fortalecendo cada vez mais e arregimentando sempre um maior número de adeptos para as suas facções criminosas. O traficante, através do seu poderio financeiro e repressivo, passou a ser conhecido e respeitado por todos como sendo o “rei do morro”, o “comandante da área”. O tráfico passou a funcionar nas diversas comunidades como se fosse uma espécie de “Governo Ditatorial” paralelo ao nosso Regime Democrático do Direito, ou seja, um poder paralelo.

→ Sou traficante, pois possuímos dezenas de escravas brancas, moças da classe média, viciadas, que vendem seus corpos para conseguir drogas. Usamos essa carne branca enquanto tiverem belezas, depois, as eliminamos.

→ Sou traficante, pois comecei, ainda criança, na turma dos aviões, fogueteiros, vigilantes, laranjas, informantes e até executores de crimes diversos. Tais crianças e adolescentes na maioria das vezes, por total falta de opção, ingressam nesse mundo de crime e tem aquele “trabalho” como uma espécie de carreira profissional. Muitos sonham em ser o rei do morro. É o chefe do tráfico como herói da criançada que logo cedo tem nos reais fuzis, metralhadoras ou pistolas seus brinquedos prediletos. Um dia eu chego lá...

→ Sou traficante porque sei que todos adoram o produto que eu vendo. Mansões e apartamentos luxuosos colocam em seus banheiros pias com mármore preto para melhorar a visualização da cocaína, que é branca, para consumo de burgueses festeiros.

→ Sou traficante, pois movimentamos muito dinheiro. Podemos subornar quem quisermos. O nosso poder aumenta cada vez mais. Enquanto houver usuários, e eles aumentam cada dia, seremos a maior força empresarial do Brasil e do mundo!

→ Sou traficante, pois vivo de vender ilusões, a felicidade poucos a conseguem, eu vendo alguns minutos de prazer momentâneo. Cada vez mais pessoas me procuram, atendo até por tele-entrega. Aceito qualquer tipo de moeda em troca o meu produto. Já recebi de tudo: cães de estimação, televisão, alimentos, carro e até corpos. O meu poder sobre os endividados é comprovado quando, da prisão, dou ordens para que ônibus sejam incendiados. Quem deve ao tráfico tem suas dívidas perdoadas, mas tem que fazer esse serviço sujo nas ruas.

→ Sou traficante porque matamos qualquer pessoa que tenha contato com um grupo rival, principalmente mulheres que se envolvem com traficantes, pois julgamos que elas são "propriedades" desses elementos. Matá-las é um forma de dar um recado aos adversários do tráfico.

→ Sou traficante porque podemos comprar qualquer elemento envolvido com os nossos processos criminais: Num programa de TV (Fantástico) mostrou a compra de sentenças junto a desembargadores, que assinam Habeas Corpus para a nossa soltura em troca de polpudas propinas.

→ Sou traficante porque temos poder, muito dinheiro e, neste país, podemos comprar o que quisermos.

→ Sou traficante, e quem viver verá, pois sei que a nossa força e o nosso poder está apenas começando...


Obs, É de se pensar: Se um produto que todo mundo quer e consome, pode estar nas mãos de bandidos? Sinceramente, eu não sei a resposta...


Texto de Nilo da Silva Moraes




Um comentário:

  1. O texto mostra a realidade, é forte, é duro, é cruel é assustador... Mas ainda assim eu também quero plantar a minha macieira!!!

    ResponderExcluir