sábado, 3 de setembro de 2016

Sai pra lá, Atchim!



Bastam alguns dias de frio e chuva para as crianças chegarem em casa com o nariz escorrendo, tosse e dor de garganta. Às vezes, uma febre acompanha. As mudanças bruscas de temperatura deixam todos mais suscetíveis às doenças das vias aéreas. Mas fica a dúvida: será gripe, resfriado oi crise alérgica? Para saber, é preciso prestar atenção nos sinais.

A gripe é uma infecção respiratória aguda, e seus sintomas incluem tosse, obstrução nasal, coriza (nariz escorrendo), dor de garganta e febre. Em crianças, os sintomas da gripe e do resfriado podem ser semelhantes. Uma das importantes diferenças, segundo o otorrinolaringologista e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Otávio Piltcher, é que na gripe, os sinais aparecem intensa e rapidamente.

 Na infância, é muito difícil diferenciar gripe e resfriado, pois em crianças pequenas a febre alta pode ser sinal de resfriado ou gripe – afirma Piltcher.

Segundo Piltcher, os surtos de gripe costumam aparecer mais, no Estado, no outono e no inverno. Quando os sintomas permanecem por mais tempo, o mais indicado é levar a criança ao médico.

 Alguns vírus são muito agressivos, como o influenza, o parainfluenza, o sincicial respiratório e o adenovírus, e podem fazer com os recém-nascidos e as crianças que ainda estão sendo amamentadas sejam hospitalizadas – afirma o pediatra Dilton Francisco de Araújo, professor da FFFCMPA e chefe do Serviço de Pediatria do Hospital da Criança Santo Antônio.

Araújo alerta que a gripe e o resfriado, quando não tratados, podem se agravar, podendo evoluir para bronquiolite (infecção nos bronquíolos) ou broncopneumonia bacteriana. Nesses casos, a criança precisa ser hospitalizada. Por isso, é preciso estar atento aos primeiros sinais de doença respiratória. Entre as crianças mais suscetíveis a todas essas doenças, estão as alérgicas.

Se, mesmo depois de analisar todos os sintomas da doença, a dúvida sobre se é gripe, resfriado ou crise alérgica permanecer, é melhor visitar o médico. Segundo Araújo, os pais devem levar o filho à emergência de algum hospital nos casos mais agudos, quando a criança está com febre, muito cansada, fazendo grande esforço para respirar, com cianose (cor arroxeada em torno dos lábios) e tosse. E sempre que tiver dúvida, uma consulta com o pediatra é bem-vinda.

Dicas de prevenção e tratamento

Gripe


 Tosse

 Dor de garganta

 Febre alta

 Coriza (nariz escorrendo)

 Mal-estar geral

 Dor no corpo

Como prevenir


 Lave sempre as mãos para tocar em seu filho.

  O ambiente em que a criança fica deve ser bem limpo, arejado, aquecido. No local, ainda devem ser evitados itens que podem causar alergia, como tapetes, cortina, tecidos de lã e travesseiros de pele.

  Ofereça uma alimentação protéica e calórica adequada para a idade. Até os seis meses, é muito importante a criança ser alimentada com leite materno.

  Esteja em dia com o calendário de vacinação. Converse com o pediatra de seu filho se ele deve ser vacinado contra o vírus da gripe (influenza).

  Evite ambientes frequentado por tabagistas.

Resfriado

→ Febre variável

 Dor de garganta

 Coriza (nariz escorrendo)

Como tratar

 Nos casos em que não foi possível evitar e a gripe ou o resfriado se instalaram, fique atento:

 Não leve seu filho à creche, para que ele não seja exposto a outros ciclos infecciosos e não contamine os colegas.

 Mantenha-o bem hidratado, oferecendo bastante água, chá e suco.

 Alimente-o corretamente com proteínas, vegetais, carboidratos e frutas.

 Coloque roupas quentes e mantenha-o aquecido.

→ Evite que a criança seja exposta a baixas temperaturas, evitando áreas com vento e correntes de ar.


(Caderno Meu filho, de ZH, de 02.07.2007)

Resfriado Comum

Sinônimo: Rinite catarral aguda

Definição: Infecção viral causada mais comumente por um rinovírus que geralmente acomete as cavidades nasais e estruturas de vizinhança (Seios paranasais, ouvido e faringe).

Sintomas: Obstrução nasal e rinorréia de variável intensidade, consistência e coloração. Usualmente o corrimento nasal é claro e seroso nos primeiros dias, podendo passar a muco-purulento devido a infecção secundária por germes e saprófitas nasais. Espirros são comuns, assim como cefaléia e dor de garganta. Febre, quando presente, é de baixa intensidade e cede rapidamente com antitérmicos. O exame nasal revela mucosa nasal hiperemiada e edemaciada recoberta pela secreção descrita. O quadro costuma ceder em cerca de 7-10 dias a não ser que ocorra infecção bacteriana secundária.

Diagnóstico: História e exame físico.

Tratamento: Sintomático.

1 – Analgésico antitérmico: paracetamol em crianças e em adultos, paracetamol ou ácido acetil-salicílico;

2 – Higiene nasal com solução salina;

3 – Aumentar ingestão de líquidos e repouso;

4 – Descongestionante nasal tópico em casos mais severos por tempo limitado (3 a dias).

5 – Casos agudos: Claritin-D

Gripe

Sinônimo: Influenza

Definição: Infecção viral provocada por vírus do tipo influenza A,B,C ou suas variantes onde ocorre necrose do epitélio ciliado do trato respiratório superior, descamação e re-epitelização do mesmo.

Sintomas: Os mesmos do resfriado comum, porém com maior intensidade. A febre e prostração são mais significativas e mais comumente ocorrem infecções associadas de via aérea superior e inferior.

Diagnóstico: História e exame físico.

Tratamento:

Semelhante ao do resfriado comum, sendo muito importante o repouso.

Vacinas:

Faça, anualmente, a vacina contra a gripe. O vírus muda a cada ano, tomando vacinas, você cada vez mais estará protegido contra a gripe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário