terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Frases do grande pensador Noam Chomsky



→ Noam Chomsky, nascido em 1928 na Filadélfia, Estados Unidos, é professor de linguística no MIT e a figura mais representativa na pesquisa da linguística do século XX.

→ As suas contribuições para o campo da linguística foram fundamentais para o desenvolvimento da informática. A sua tese de doutorado foi dedicada à análise transformacional, e graças a isto ele passou a integrar a equipe docente do MIT.

→ “Se você assume que não existe esperança, então você garante que não haverá esperança. Se você assume que existe um instinto em direção à liberdade, então existem oportunidades de mudar as coisas.”

→ Para entender em linhas gerais a enorme influência deste pensador, é preciso prestar atenção ao seu conceito mais revolucionário: a existência de uma gramática universal, integrada ao patrimônio genético dos seres humanos.

01. “A ideia básica que atravessa a história moderna e o liberalismo moderno é a de que o público dever marginalizado. O público, em geral, é visto como nada além de excluídos ignorantes que interferem como o gado desorientado.”

02. “Não deveríamos estar buscando heróis, deveríamos estar buscando boas ideias.”

03. “Caso após caso, vemos que o conformismo é o caminho fácil, e a via rumo ao privilégio e ao prestigio; a dissidência traz custos pessoais.”

04. “O que eu sempre compreendi como essência do anarquismo é a convicção de que se deve apresentar à autoridade uma prova de assunção de responsabilidade, e que esta (a autoridade) deve ser desmantelada se não conseguir alcançar esta assunção de responsabilidade.”

05. “Parte do motivo pelo qual o capitalismo parece ter sucesso é que sempre contou com muita mão de obra escrava, a metade da população. O que as mulheres fazem – fora do mundo profissional – não conta para nada.”

06. “Se você não desenvolver uma cultura democrática constante e viva, capaz de cobrar os candidatos, eles não farão as coisas pelas quais você votou. Apertar um botão e logo ir embora para sua casa não vai mudar as coisas.”

07. “O propósito da educação é mostrar às pessoas como aprender por si mesmos. O outro conceito de educação é doutrinação.”

08. “A internet entrega acesso instantâneo a todo tipo de ideias, opiniões, perspectivas, informação. Isto de fato ampliou as nossas perspectivas ou as fez mais estreitas? Eu acho que ambos. Para alguns, as perspectivas foram ampliadas. Se você sabe o que está procurando e tem um senso razoável de como proceder, a internet pode ampliar as suas perspectivas. Mas se você se aproxima da internet de forma desinformada, o efeito pode ser o oposto.”

09. “A liberdade sem oportunidades é um presente diabólico, e negar-se a dar essas oportunidades é um crime.”

10. “O quadro do mundo que é apresentado às pessoas não tem a mínima relação com a realidade, já que a verdade sobre cada assunto fica enterrada sob montanhas de mentiras.”

11. “Se não acreditarmos na liberdade de expressão para as pessoas que desprezamos, não acreditamos nela para nada.”

12. “O ensino deve inspirar os estudantes a descobrir por si mesmos, a questionar quando não concordarem, a procurar alternativas se acham que existem outras melhores, a revisar as grandes conquistas do passado e aprender porque algo lhes interessa.”

(Do Blog A Mente é Maravilhosa)

Outras frases de Noam Chomsky

“A imprensa pode causar mais danos que a bomba atômica. E deixar cicatrizes no cérebro.”

“Não se pode controlar o próprio povo pela força, mas se pode distraí-lo com consumismo.”

“Dentro de todos e de cada um, está um tesouro, que é preciso estudar.”

“A propaganda representa para a democracia aquilo que o cassetete significa para o estado totalitário.

“Os hipócritas são aqueles que aplicam aos outros os padrões que se recusam a aceitar para si mesmos.”

“As eleições são executadas pelas mesmas indústrias que vendem pasta de dentes na televisão.”

“O governo Kennedy preparou o caminho para o golpe militar no Brasil em 1964, ajudando a derrubar a democracia brasileira, que se estava tornando independente demais. Enquanto os Estados Unidos davam entusiasmado apoio ao golpe, os chefes militares instituíam um estado de segurança nacional de estilo neonazista, com repressão, tortura, etc.”

“Mantenha boas relações com os oficiais certos e eles derrubarão o governo para você.”

“O otimismo é uma estratégia para criar um futuro melhor. Se você não acredita que o futuro pode ser melhor é improvável que você consiga assumir as responsabilidades para fazer isso acontecer. Se você aceita que existe a liberdade de escolhas, que existem oportunidades para mudar as coisas, você terá a chance de contribuir para a criação de um mundo melhor”.

“Se você acredita na liberdade de expressão, você acredita na liberdade para exprimir opiniões de que você não gosta. Quer dizer, Goebbels era a favor da liberdade de expressão para opiniões que ele gostava. Tal como Stalin. Se você é a favor da liberdade de expressão, isso significa que você é a favor da liberdade de exprimir precisamente as opiniões que você despreza. Caso contrário, você não é a favor da liberdade de expressão.”

*****

10 estratégias de manipulação política pela mídia


Noam Chomsky

01 – A ESTRATÉGIA DA DISTRAÇÃO

→ O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto ‘Armas silenciosas para guerras tranquilas’)”.

02 – CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES

→ Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

03 – A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO

→ Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradativamente, a conta-gotas, por anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haveriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.

04 – A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO

→ Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo “dolorosa e necessária”, obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “tudo irá melhorar amanhã” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a idéia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegue o momento.

05 – DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO CRIANÇAS DE POUCA IDADE

→ A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de baixa idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por quê? “Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestionabilidade, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver “Armas silenciosas para guerras tranqüilas”)”.

06 – UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO

→ Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar ideias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos…

07 – MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE

→ Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. “A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossíveis para o alcance das classes inferiores (ver ‘Armas silenciosas para guerras tranqüilas’)”.

08 – ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE

→ Promover ao público a achar que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto…

09 – REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE

→ Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema econômico, o individuo se autodesvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E, sem ação, não há revolução!

10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM

→ No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário